Você quer iniciar seu próprio negócio? A cada dia, mais pessoas embarcam nessa aventura. Felizmente,  há uma maior procura por informações que possam auxiliar nessa questão! A verdade é que fica muito mais fácil empreender aplicando alguns conceitos de administração que, apesar de simples, têm grande utilidade.

Analista Fiscal – Formação Completa com ECF

A seguir, veja 6  dos conceitos mais essenciais para  o Micro Empreendedor Individual (MEI)  começar a administrar seu próprio negócio. Confira:

1)Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma das ferramentas mais simples e efetivas para se monitorar o desempenho financeiro de uma empresa. Esse controle é feito pela comparação detalhada de todas as entradas e saídas de caixa em um determinado período de tempo.

Com a prática, é possível conhecer seu negócio mais a fundo e detectar equilíbrios e possíveis desequilíbrios na vida financeira da empresa. Esse controle é essencial para detectar problemas antes que eles aconteçam e planejar qual medida deve ser tomada para garantir o bom andamento da empresa.

2)Capital de giro

Outro conceito importante  é o capital de giro. Este é uma reserva de dinheiro que visa financiar  os gastos que a sua empresa terá de arcar até que o dinheiro do cliente seja recebido Um negócio que não tem  um capital de giro adequado pode estar propício a  pagar juros até que os pagamentos sejam efetuados   ,prejudicando sua lucratividade e uma série de outros problemas.

3)Formação de Preços

Muitos empresários iniciantes têm muita dificuldade quanto à formação de preços adequada. Alguns acabam em situações adversas, seja perdendo mercados – por praticar preços acima dos da concorrência – ou sofrendo prejuízos – por vender seus produtos abaixo do preço ideal.

No entanto, vários fatores podem influenciar o preço final. Entre eles, está o nível de competição entre as empresas, a variação de despesas, entre outros. Em resumo, podem ser adotadas várias estratégias para fixar os preços, mas não se esqueça de garantir uma margem de lucro razoável em cada produto.

4)Despesas fixas e despesas variáveis

Muitos não sabem, mas esses dois termos não tratam da mesma coisa. É preciso diferenciá-los e acompanhar cada um de perto.  Despesas variáveis são relativas aos produtos ou serviços que sua empresa oferece, ou seja, é a despesa que gera lucro, como por exemplo, os produtos que o empresário compra do fornecedor e revende ao seu cliente final  . Já as despesas fixas, são gastos necessários para a empresa, mas não tem relação direta com o lucro  ,como materiais de limpeza e de escritório.

Entender que esses conceitos são distintos e que devem ser analisados de forma diferente, é essencial para que o empresário possa analisar a eficiência da empresa quanto a sua operação, e como pode ser melhorada.

5)Controle de estoque

Independente do tamanho do seu negócio, é necessário ter um sólido controle de produtos e de outros recursos materiais para sua atividade. O controle de estoque gerencia a entrada e saída de matérias-primas e outros elementos a serem utilizados, controlando também a quantidade de itens, a data de aquisição e a estrutura de armazenamento e localização. Um acompanhamento mal feito e desatualizado pode gerar problemas quanto ao gerenciamento de materiais e até afetar a entrega de produtos.

6)Balanço patrimonial

O balanço patrimonial é um conjunto de relatórios que apresentam com qualidade  a posição patrimonial e financeira de uma empresa. É considerado uma das principais representações contábeis de uma empresa. A função desse controle é comparar o tamanho da empresa e o crescimento ou queda dela em determinado período.

O balanço patrimonial é analisado em três partes, as quais são: ativos (bens e direitos a receber), passivo (obrigações e despesas) e o patrimônio líquido  (diferença entre o ativo e o passivo) que é o capital disponível em caixa. Via ZeroPaper

Deixe uma resposta