Lá vem um respiro para a vida financeira, o tão esperado 13º salário, que chega em duas parcelas: a primeira, até 30 de novembro, e a segunda, até 20 de dezembro. Se você trabalhou o ano todo na empresa, receberá um salário inteiro a mais, na prática, mas as parcelas não são iguais.

Curso de Formação ou Atualização Fiscal

Entender exatamente qual será o valor pago em cada data é estratégico para você se planejar e usar o que receber da melhor forma. Além disso, você não depende de um especialista para conferir as contas por você.

A seguir, a contadora Dilma Rodrigues, sócia-diretora da Attend Assessoria, Consultoria e Auditoria, explica tim-tim por tim-tim.

Na primeira parcela, até 30 de novembro, você recebe um valor equivalente à metade do salário de outubro, sem descontos. A primeira parcela sempre equivale à metade do último salário recebido, e não à média do salário no ano. Assim, se o seu salário aumentou durante o ano, o cálculo será feito com base no último salário, o mais alto.

Na segunda parcela, até 20 de dezembro, você recebe um valor equivalente ao salário de novembro, descontando Imposto de Renda e INSS sobre esse salário inteiro, menos o valor da primeira parcela que você já recebeu. Ou seja, o valor da segunda parcela será menor que o da primeira.

Os descontos de INSS e Imposto de Renda variam conforme o seu salário. Confira:

Salário Desconto de INSS
Até R$ 1.556,94 8%
De R$ 1.556,95 a R$ 2.594,92 9%
De R$ 2.594,93 até R$ 5.189,82 11%
Acima de R$ 5.189,83 R$ 570,88

 

Salário Desconto de Imposto de Renda
Até 1.903,98 0%
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5%
De 2.826,66 até 3.751,05 15%
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5%
Acima de 4.664,68 27,5%

Se você paga pensão alimentícia, ela também é descontada na segunda parcela do seu 13º salário. Caso você já tenha recebido uma parte do 13º salário adiantado, receberá só a segunda parcela, até dia 20 de dezembro. Trabalhadores afastados por licença maternidade ou por auxílio doença recebem o 13º salário normalmente.

Horas extras e adicional noturno

Se você recebeu horas extras ou adicional noturno ao longo do ano, o seu 13º salário terá um acréscimo proporcional a essas horas trabalhadas, normalmente recebido na segunda parcela.

Para calcular, some todas as horas extras feitas, divida pelo número de meses trabalhados até novembro e multiplique esse valor pelo custo da hora extra. O mês de novembro entra na conta, e as horas extras proporcionais às trabalhadas em dezembro devem ser pagas em janeiro.

E quem não trabalhou o ano inteiro na empresa?

Se você foi contratado no meio do ano, o 13º salário será menor, proporcional ao número de meses trabalhados. Para calcular a primeira parcela, recebida até 30 de novembro, divida o seu salário por 12 e multiplique o resultado pelo número de meses em que trabalhou, incluindo até outubro.

Se você trabalhou menos do que 15 dias no mês que entrou na empresa, esse mês não entra na conta. A primeira parcela será equivalente à metade desse valor, sem descontos.

Para calcular a segunda parcela, até 20 de dezembro, divida o valor do salário de novembro por 12 e multiplique o resultado pelos meses trabalhados até novembro. Em seguida, basta descontar desse valor o INSS e o Imposto de Renda e, por último, subtrair o valor da primeira parcela.

Qual a melhor estratégia para usar o dinheiro?

Feito o cálculo, lembre que um mês de salário a mais pode fazer toda a diferença nas suas finanças, se o dinheiro for gasto com inteligência. A maioria dos brasileiros, 42,5%, vai usar o 13º salário para quitar dívidas, como mostrou uma pesquisa nacional realizada pelo Instituto Ipsos, encomendada pela Associação Comercial de São Paulo.

O segundo maior grupo, 22,5% dos entrevistados, ainda não sabia o que fazer com o dinheiro no início de outubro, quando a pesquisa foi feita, e 20% pretendia poupá-lo. Afinal, qual a forma mais estratégica de usar o 13º salário?

Se você tem dívidas para quitar, sem dúvida, elas devem ser sua prioridade, como aconselha o educador financeiro Eduardo Sanches. Comece pela dívida mais cara, sem contar os financiamentos que já estão programados no orçamento.

Se você não tem dívidas, mas também não tem o hábito de poupar, o 13º salário pode ser uma ótima chance para começar a investir. Atribua um sonho ao investimento e escolha uma aplicação financeira segura, que renda mais que a poupança (veja alternativas).

Pode ser uma boa alternativa reservar uma parte do 13º salário para arcar com despesas do início do ano, como IPVA IPTU, material escolar e, até mesmo, as ceias de Natal e Ano Novo e as férias.

“Se você ainda não sabe o que vai fazer com o dinheiro, planeje. Sem um plano, o dinheiro vai desaparecer”, orienta a educadora financeira e contadora Dora Ramos, diretora da Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial. Ela também recomenda não cair em promoções de Natal sem planejar as compras. Via Exame

Deixe uma resposta