Estudantes de contabilidade cobram anulação de questões do Exame de Suficiência

Estudantes do curso de contabilidade de diversas instituições de ensino de Alagoas estão inconformados com o resultado do Exame de Suficiência Contábil, realizado em todo o Brasil. Segundo os graduandos, cinco questões do exame possuíam erros e precisam ser anuladas.

Segundo o candidato Denisson Feitosa, vários estudantes do curso de contabilidade se submeteram ao exame no estado, com boa parte deles tendo sido reprovada por poucos pontos, quando cinco questões teriam sido mal elaboradas.

“Vários estudantes do Brasil inteiro ingressaram com recursos na Fundação Brasileira de Contabilidade – que organiza a prova e avalia os resultados -, a fim de pedir a anulação das cinco questões, mas todos foram indeferidos. E como a instituição deu a mesma resposta para todos eles, acreditamos que seus responsáveis não analisaram todos os processos, já que cada um possui um argumento distindo”, informou Denisson.

A prova que determina quem está apto a conseguir o registro para atuar como contador ocorre duas vezes por ano em todos os estados brasileiros. O valor da taxa paga é de R$ 110,00. São 50 questões, com o estudante tendo que acertar ao menos 25, perfazendo 50% do teste de suficiência. Nesta segunda edição, os alunos afirmam ter encontrado erros nas questões 09, 11, 25, 37 e 50.

Denisson afirmou se sentir prejudicado. “Nós, alunos, temos observado que o número de reprovados só aumenta, o que não seria normal. Além do mais, criou-se um sistema por meio do qual não podemos acompanhar o trâmite do recurso. Em outras palavras, é como se o exame só existisse para se recolher fundos. E tudo isso demanda investimento e muito estudo em vão. É revoltante”, desabafou.

A Gazetaweb entrou em contato com a Fundação Brasileira de Contabilidade e, segundo a assessoria, todos os recursos já foram pela banca, sendo que nenhuma questão será anulada. “Muitos candidatos colocam no recurso que querem apenas que a questão seja anulada, mas não possuem uma base argumentativa, motivo pelo qual têm seus recursos indeferidos”, informou a assessoria.

Gazetaweb também manteve contato com o supervisor do Exame de Suficiência Contábil em Alagoas, mas não obteve êxito.

Deixe uma resposta