Irmãs formadas em contabilidade recebem prêmio de excelência na baixada fluminense

Formadas em ciências contábeis pela Uniabeu, Paula e Thaís Gonçalves são jovens premiadas pela excelência na Baixada Fluminense

Pesquisas mostram que as mulheres são a maioria entre os novos empreendedores. Os números apontam a vantagem para o sexo feminino neste segmento: 52% do empresariado com menos de três anos e meio de atividade no segmento é formado por meninas. Assim como as irmãs, sócias, flamenguistas, moradoras da Baixada Fluminense e formadas em ciências contábeis pelo Centro Universitário Uniabeu, Paula Santana Gonçalves, 35 anos, e Thaís Santana Marcelino, 25 anos, que lideram a GMX Consultoria Contabilidade com sede, em Belford Roxo, e filial, em Nova Iguaçu.

certificados-300x188
Coleção de prêmios das irmãs empreendedoras

Focada e determinada, Paula Santana conta que sempre planejou crescer profissionalmente no quintal de casa. Para isso, escolheu a preparação acadêmica na Uniabeu por considerar a instituição um diferencial no curso de ciências contábeis. Segundo ela, os profissionais não só lecionam como têm vivência na área e proporcionam a troca de experiência, o que é fundamental para o aluno.

“O projeto final que envolve montar uma empresa e movimentá-la por um período, envolvendo toda a parte fiscal, contábil, era algo que nenhuma instituição oferecia. Saí com noções práticas e conhecendo um software de gestão contábil, o que é imprescindível para entrar no mercado de trabalho”, avalia a ex-aluna e empreendedora.

A empresária da área contábil Gonçalves é tão segura da qualidade do ensino da Uniabeu que aconselhou a sua irmã Thaís Santana a optar pela Uniabeu, embora ela tivesse sido aprovada para a Uerj. “Acredito na metodologia praticada pela Uniabeu, e como profissional da área que atuo há mais de 15 anos, sei que o conteúdo programático e a grade de matérias atende todos os requisitos para formar um excelente profissional”, justifica.

whatsapp-image-2016-09-16-at-13-57-33-300x225
Thaís em atividade com colaboradoras na GMX

Thaís Marcelino disse que ficou orgulhosa com a aprovação para a universidade pública, mas que não se arrependeu de ter seguido o conselho da irmã. “Obter a aprovação na Uerj foi uma realização pessoal, mas a expectativa com a qualidade da graduação na Uniabeu foi totalmente correspondida. Meu DNA é Abeu. Fiz o ensino médio e o técnico em administração na instituição e me formei em ciências contábeis também aqui”, comenta a bela contadora.

Durante a entrevista, as irmãs empreendedoras fizeram questão de registrar os professores que consideram referências do curso. Entre eles, Carlos Augusto, Sineide, Bertolo, Fernando e Luciene Romanelli. “Fico recordando do tempo da graduação, dos inícios de períodos. Enquanto os colegas desejavam que o tempo passasse rápido, eu queria o contrário, porque sempre aprendia coisas novas com excelentes professores”, recorda Marcelino com fala serena e olhos de saudade.

Segundo o Sebrae e o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 66% das mulheres iniciam uma empresa após identificar uma oportunidade de mercado. Com Paula e Thaís não foi diferente. “Quando fiz minha monografia sobre o perfil do contador de Belford Roxo, concluí que a grande maioria cumpria basicamente a obrigação fiscal, ou seja, emitiam guias de impostos. Naquela época havia uma necessidade de algo mais como um serviço de assessoria e planejamento tributário”, explica Paula.

whatsapp-image-2016-09-16-at-13-1-57-36-225x300
Filial GMX de  Nova Iguaçu

Quando a Marcelino se formou, no final de 2012, as irmãs contadoras uniram os objetivos e fundaram, em maio de 2013, a GMX Consultoria Contabilidade, em Belford Roxo. A filial de Nova Iguaçu entrou em atividade em maio deste ano. Atualmente, a empresa tem uma carteira de 120 clientes, e nove funcionários estão com elas nas tarefas contábeis. “Nosso quadro de colaboradores é composto por uma contadora, uma profissional de gestão de recursos humanos, dois estagiários com formação ou estudando na Uniabeu”, disse com satisfação Marcelino.

Quanto ao envolvimento com o empreendedorismo, as irmãs consideram que, além de visualizar uma lacuna no mercado, outros fatores pontuaram esse caminho, entre eles o apoio e a base educacional dos pais e também a própria linha do destino. “Eu costumo dizer que o empreendedorismo me escolheu. Eu passei para a Eletrobrás em 13º lugar, porém não fui chamada, mas os amigos já me pediam para legalizar, fazer imposto de renda e, até mesmo, fazer todo o processo de contabilidade de microempresas. As coisas foram acontecendo”, frisa Gonçalves.

O compromisso com o trabalho bem feito e dentro da linha reta tornou as irmãs referências do segmento contábil na Baixada Fluminense e também ganhadoras de prêmios. No primeiro ano de atuação da empresa, o trabalho diferenciado de Paula e Thaís chamou a atenção dos empresários da região. “O resultado foi que recebemos o Prêmio Mulheres Empreendedoras, iniciativa do Sebrae, Prefeitura de Belford Roxo e Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belford Roxo (CDLBR)”, lembra emocionada Gonçalves.

 

A marca registrada de empenho, honestidade, trabalho e compromisso com cliente segue rendendo frutos. “Em 2015, ganhamos o prêmio Mérito Empresarial. É um prêmio de excelência em atendimento, também organizado pelo Sebrae, CDLBR e Sindicato Varejista de Nova Iguaçu (Sincovani)”, aumenta a lista Marcelino.

Mas não termina aí. Isso porque as irmãs são inquietas. Inteligentes e com vontade de fazer, elas, ainda, em 2015, iniciaram o processo de implementação da ISO 9001:2008, através do PEC (Programa de Excelência Contábil) promovido pelo Sebrae. “Por isso, nesse ano, ganhamos o selo Bronze, em março, e Selo Prata, em junho, e já fomos pré-auditadas pela ABNT para certificarmos a ISO”, comemora Gonçalves.

Reportagem: Fernando Fraga

Fotos: Rodolfo Walter e arquivo pessoal

Fonte: Uniabeu