O aumento de inadimplência nos escritórios contábeis é uma realidade, veja aqui dicas úteis

Um dos reflexos imediatos que podem ser percebidos em um momento de crise financeira, como a que o Brasil passa, é o aumento no índice de inadimplentes no país. Afinal de contas, com elevação de juros, economia estagnada e aumento do desemprego, torna-se cada vez mais difícil para o brasileiro honrar suas dívidas e pagamentos.

Curso Empresário Contábil – Módulo Gerencial

Como as empresas e negócios de qualquer segmento, os escritórios de contabilidade devem estar atentos a esta questão e planejar com cautela suas ações para evitar prejuízos.

O presidente do Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região (Sescap-Ldr), Jaime Cardozo, afirma que um levantamento apontou que cerca de 60% das empresas contábeis enfrentaram problema com recebimento de honorários. “A questão da inadimplência aumentou nas inúmeras esferas, inclusive dentro das empresas contábeis. E este ano, o problema deve aumentar”, lamenta.

Outras pesquisas, como a divulgada pela Serasa Experian, ajudam a reforçar esse quadro negativo: o número de brasileiros inadimplentes atingiu a marca de 60 milhões, sendo a maior registrada desde 2012 – quando essa medição começou a ser feita.

O advogado e consultor do Sescap-Ldr, Caio Biasi, confere algumas orientações para que o profissional contábil não seja afetado por essas estatísticas. “Em tempos de aumento nos índices de inadimplência é necessário que o profissional liberal esteja atento à real situação de seus clientes e parceiros, reduza custos, otimize a prestação de serviços, avalie cada realidade e tenha versatilidade para se adequar” enumera. “Pois existem medidas, mas não existem fórmulas“, completa.

Além dessas ações, outra importante medida que deve ser tomada é a correta elaboração do contrato. Ele deve ser o mais completo possível e detalhar serviços, as responsabilidades de contratado e contratante, local de execução, entre outros. Assim, o escritório estará melhor resguardado nas questões legais de sua atuação.

O Sescap-Ldr ainda recomenda que os contratos indiquem sempre a data de vencimento dos honorários, multas e juros incidentes, além de alertar que o não cumprimento do prazo resultará na suspensão dos serviços prestados.

Recuperando o dinheiro

Se mesmo tomando todas essas precauções, o escritório de contabilidade ainda se ver diante de uma dívida a receber, Biasi aconselha que o profissional tente receber o crédito “de forma amigável, extraconjugal, por ser mais rápida, menos onerosa, além de permitir maior possibilidade de preservar e manter um relacionamento comercial com o cliente”.

Para ele, a cobrança judicial deve ser feita apenas se um acordo amigável não for possível, e deve ser feita de duas formas: Juizado especial ou por meio das Varas Cíveis.

Sem contrato

Já nos casos daqueles que não possuem contratos de prestação de serviços, ainda assim é possível realizar a cobrança de crédito. Para isso, entretanto, é necessário comprovar que os serviços foram realmente realizados e, segundo aponta o advogado, é um processo que demanda mais riscos e leva mais tempo para ser concluído. Via Blog Skil

 

Deixe uma resposta