Oportunidade para contadores, em SP 80% dos médicos atuam como Pessoa Jurídica

Existem diversas variáveis que podem interferir na decisão do médico em se tornar pessoa física ou pessoa jurídica para exercer suas atividades. Porém, a tributação incidente na categoria tem sido fator decisivo na escolha e, a maioria dos profissionais tem optado pela abertura de empresa.

De acordo com pesquisa do Datafolha, realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), em maio de 2007, 38% dos médicos paulistas tinham empresas abertas. Atualmente, mais de 80% dos profissionais da área médica do Estado atuam como pessoa jurídica, segundo a Associação Paulista de Medicina (APM).
 

 
“Para o médico é muito mais vantajoso ser pessoa jurídica do que pessoa física, principalmente financeiramente. Quando o profissional é autônomo, ele se enquadra no IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física), e paga 27,5% sobre seus rendimentos e 11% de INSS. Quando o médico é pessoa jurídica, a totalidade dos impostos cai para 13,33%. Essa diferença se torna muito expressiva quando calculada durante todo ano”, explica José Eduardo Rissi, diretor da Rissi Contabilidade Médica, escritório especializado em contabilidade para médicos e profissionais da saúde.

Outro fator que tem impulsionado a abertura de empresa para médicos é a desburocratização. O processo de formalização está cada vez mais simples e rápido e, a constituição de empresa para médicos é realizada, normalmente, em até 10 dias úteis.
 

 
“Antigamente abrir uma empresa era sinônimo de dor de cabeça. Hoje, reflete tranquilidade, principalmente para profissionais com uma rotina tão corrida e estressante como a do médico. Atuar com pessoa física vai além de benefícios financeiros. Com a empresa aberta o médico poder emitir notas fiscais, contabilizar os rendimentos de maneira idônea e estar devidamente regulamentado nos órgãos de fiscalizações”, ressalta Rissi.

No momento de formalizar as atividades profissionais para atuação como pessoa jurídica, é importante que os médicos busquem ajuda especializada tanto na parte específica de procedimentos médicos, quanto de procedimentos legais. “É importante a escolha de um bom escritório de contabilidade para gerenciar o processo de formalização. Qualquer ausência de documentos pode gerar atrasos no início das atividades ou multas, caso a empresa comece a funcionar sem as autorizações necessárias”, finaliza José Eduardo Rissi.

Fonte: Terra