Saiba como contabilizar operações usando cheque especial

Neste artigo vou mostrar Como Contabilizar operações usando cheque especial.

O cheque especial é um produto que decorre de uma relação contratual entre a empresa e o banco, onde é fornecida à empresa uma linha de crédito para cobrir cheques que ultrapassem o valor existente na conta. Por essa operação o banco cobra juros.

Quando a empresa extrapola seu saldo bancário e começa a utilizar o cheque especial que o banco libera, a empresa deve contabilizar esse valor como empréstimo, no passivo circulante, e os juros cobrados no resultado, como despesa financeira.

DEDUTIBILIDADE PARA FINS DE IMPOSTO DE RENDA

Os juros cobrados pelo banco quando a empresa utiliza o cheque especial, a empresa pode considerar dedutível para apuração do lucro real e da base de cálculo da CSLL.

COMO CONTABILIZAR OPERAÇÕES USANDO CHEQUE ESPECIAL

Como exemplo vamos admitir que uma empresa tem um limite de cheque especial de R$ 50.000,00.

A empresa precisa pagar uma fatura de um fornecedor de R$ 10.000,00. No entanto, ela tem saldo disponível em conta corrente de “apenas” R$ 7.000,00. Para conseguir pagar ao fornecedor, ela utiliza parte de seu limite.

CONCESSÃO DO CHEQUE ESPECIAL

Não precisamos contabilizar a concessão pelo banco do limite de cheque especial. A contabilização do empréstimo se dá quando da utilização do limite.

PAGAMENTO AO FORNECEDOR

D – Fornecedores (Contas a pagar – Passivo Circulante) R$ 10.000,00
C – Bancos (Disponibilidades – Ativo Circulante) R$ 7.000,00
C – Empréstimos a pagar (Passivo Circulante) R$ 3.000,00

JUROS PELA UTILIZAÇÃO DO CHEQUE ESPECIAL

O banco quando cobrar os juros do cheque especial, vai debitar da conta corrente da empresa. A contabilização deve ser feita assim:

D – Juros Passivos (Despesa bancária – Resultado)
C – Bancos (Disponibilidades – Ativo Circulante)

 

Matéria: Como contabilizar

Deixe uma resposta