Saiba o poder dos juros compostos sobre os investimentos

A “mágica” do crescimento patrimonial nos investimentos ocorre graças aos juros compostos. Você sabe como isso funciona na prática? Esse é o assunto do presente post.

Juros compostos são juros calculados sobre juros anteriores. Forma o chamado efeito “bola de neve”.

Vamos a um exemplo:

Você aplica R$500,00 a 1% ao mês. No mês seguinte você terá R$ 505,00. No segundo mês, o rendimento de 1% não será mais sobre os R$500,00 investidos inicialmente, mas sobre os R$ 505,00. Ou seja, o rendimento do segundo mês será calculado sobre o que você investiu inicialmente mais o que seu investimento inicial rendeu no primeiro mês. Como disse antes: são juros sobre juros anteriores.


 
No mesmo exemplo, digamos que você tenha uma programação de R$ 500,00 por mês em 10 anos, a uma taxa de 1,2% ao mês (possível com grande facilidade no momento que escrevo este post, 13/04/2016).

juros-compostos

juros-compostos
No final do período você teria:
Investido: R$ 60.500,00
Juros: R$ 74.287,03
Total: R$ 134.787,03
Como você pode perceber, o valor gerado pelos juros supera o valor que você efetivamente investiu e o total recebido é mais do dobro do valor investido.

Formação de patrimônio por meio de investimentos desse tipo depende de três variáveis: tempo, taxa de juros e valor investido. Quanto maior for cada uma das variáveis, maior ficará seu patrimônio.

O tempo é a principal variável e sobre a qual não temos controle. Não há como comprar tempo. Em razão disso, o ideal é que você comece a formar seu patrimônio o mais jovem possível.

Tendo em vista que a criação da maior parte da população brasileira, inclusive a minha, é com a mentalidade da “pobreza” ou “classe média”, poucos são orientados a investir parte de seus rendimentos desde cedo.

Se você, como eu, não teve essa educação para investimentos desde jovem, aceite o fato de que não podemos voltar no tempo. Não use isso para “choramingos” e como desculpa para não começar a investir. O que posso dizer é que não importa qual sua idade atual, como não podemos voltar no tempo, o que nos resta fazer é começar agora. Domine as outras duas variáveis que o efeito do tempo perdido será menor.

Diferentemente do tempo, a variável taxa de juros está quase que totalmente sobre nosso controle.

Disse quase que totalmente, pois não somos nós que determinamos o rendimento de determinado investimento, mas somos nós que definimos onde vamos investir. Tendo em vista a infinidade de investimentos que existem como Títulos do Tesouro Nacional, LCI, LCA, CDB, Debêntures, Ações, Câmbio e outros, cabe a você pesquisar, estudar e entender como cada investimento funciona, criando uma carteira de investimentos adequada a seus objetivos.

Investimentos em renda fixa são mais seguros, mas não possuem rendimentos muito altos. Os investimentos em renda variável, como ações, por exemplo, são mais arriscados, mas tem maior potencial de ganhos. O ideal é que você diversifique seus investimentos visando obter o melhor de cada um.

Já a última variável, valor investido, está totalmente sob nosso controle, somos nós que definimos qual valor vamos investir mensalmente. Não precisa ser nenhum gênio para perceber que, quanto mais eu invisto por mês, maior é o ângulo de crescimento com o passar dos anos.
 

Em razão disso, concentro-me em manter meus gastos sempre no mínimo necessário, sem me privar, contudo; e dedico-me a aumentar meus rendimentos mensais, aumentando, juntamente, o valor que invisto.

Essa é a regra básica: gastando menos e ganhando mais sobra mais dinheiro para investir.

Quanto mais eu invisto, menos tempo será necessário para chegar a meu objetivo de total liberdade financeira.

Esta aí a fórmula para usar os juros compostos a seu favor:

Usar todo o tempo disponível: começar agora;
Conseguir a maior taxa de juros: entender e escolher os investimentos certos;
Investir o máximo possível: organizar o orçamento e aumentar os ganhos;

Matéria: Dax Investimentos