Abrir uma empresa em nosso país exige uma série de requisitos, e entre as tarefas mais importantes está a de escolher um regime tributário adequado. O modelo de tributação determina impostos a serem pagos e evita problemas com a fiscalização e a Receita Federal. Os valores pagos em tributos podem ser maiores ou menores e isto só depende da escolha certa do regime fiscal.

Tem alguma dúvida com relação a este assunto? Fique tranquilo, pois neste post nós explicamos quais são os tipos de regimes tributários que existem e qual a sua importância para as empresas. Acompanhe!

O que é regime tributário?

Regime tributário nada mais é do que um conjunto de leis que regem a tributação das empresas, de acordo com a opção de cada uma. Com a escolha do regime fiscal correto, a base de cálculo de impostos municipais, estaduais e federais será determinada. Então, é de extrema importância que empresários solicitem a ajuda de profissionais da área contábil para escolher o melhor regime de tributação.

Quais os regimes tributários que existem?

É muito importante que os empreendedores conheçam bem cada um dos regimes tributários. Existem três tipos de tributação, são eles:

Simples Nacional

O regime Simples Nacional está previsto pela Lei Complementar nº 123/2006. Por meio desse regime são estabelecidas normas tributárias para microempresas e empresas de pequeno porte com receita bruta anual de até R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais). É um regime tributário que serve para arrecadação de impostos, fiscalização de valores ou declarações e cobrança dos tributos aplicáveis.

Lucro Presumido

O regime de tributação do Lucro Presumido é calculado sobre o lucro que determinada empresa pode ter a partir de todas as suas receitas brutas e de outros valores referentes à tributação. É aplicável apenas para as empresas com faturamento anual igual ou inferior a R$ 48.000.000,00 (quarenta e oito milhões de reais).

Lucro Real

O lucro real é um regime bem mais complexo do que os outros dois, afinal, o cálculo dos tributos é feito por meio dos registros contábeis da receita, menos os gastos do período.

Ou seja, aqui é calculado o lucro contábil para o cálculo dos impostos, sendo obrigatório para os empreendimentos com faturamento anual superior a 48.000.000,00 (quarenta e oito milhões de reais), para os bancos, financeiras e todas as instituições de crédito.

Qual a importância da escolha para as empresas?

O regime tributário adotado por uma empresa será utilizado durante o período de 1 (um) ano. Por esse motivo, é muito importante tomar cuidado na hora de escolher esse regime, que deve ser o mais vantajoso para o empreendimento.

Uma opção mal feita pode gerar a cobrança de impostos inadequada e gerar prejuízos desnecessários. Portanto, contrate uma empresa especializada em contabilidade para lhe auxiliar nesse processo.

Quais os segredos para uma boa escolha?

Cada empresa tem uma realidade diferente, por isso, não é possível dizer que determinado segmento deve optar por este ou aquele regime tributário. Cada empresário deve analisar qual é o regime mais lucrativo para o seu negócio. Alguns dos pontos que devem ser avaliados para fazer uma boa escolha são:

  • Levantamento de documentação fiscal;
  • Normas tributárias do país;
  • Área de atuação;
  • Margem de lucro.

Cada um dos modelos de regime tributário possui vantagens e desvantagens. Caso você seja o gestor de uma empresa, essa é uma tarefa muito importante e fará a diferença nas despesas do seu empreendimento.

Se ainda houver alguma dúvida quanto ao regime a ser contratado, solicite a ajuda de uma empresa especializada em gestão contábil. Somente assim você terá a certeza de ter feito a melhor escolha.

Via av contábil

Comente

Comentários

Deixe uma resposta