Soluti torna-se a primeira AC comercial brasileira de SSL na hierarquia internacional da Globalsign

Vinícius Sousa, presidente da Soluti
Vinícius Sousa, presidente da Soluti.

A Soluti, empresa especializada em segurança e certificação digital que mais cresce no Brasil, acaba de se tornar a primeira Autoridade Certificadora comercial brasileira de SSL na hierarquia internacional da Globalsign. Com a medida, a empresa expande sua oferta de produtos de proteção ao mercado corporativo, que de acordo com estudos recentes, se encontra cada vez mais exposto e vulnerável. “O objetivo central desta parceria é elevar o nível de segurança digital brasileiro e assim proteger o maior bem que temos hoje em dia, a informação”, diz Vinícius Sousa, presidente da Soluti.

A aplicação de criptografia e a necessidade da identificação da origem e da propriedade dos servidores, não são mais exigências restritas à sites, intranets, extranets e servidores de e-mails. Hoje qualquer tipo de operação com conectividade para troca de informações, mensagens, transação financeira, por exemplo, precisa ser resguardada e identificada, o que tem tornado o mercado para proteção de servidores web cada vez mais promissor. “Nossa operação de SSL teve um crescimento significativo nos últimos dois anos e a Globalsign, por sua vez, pretende aumentar seu share no mercado brasileiro, o que nos motivou a investir nessa direção. O SSL é apenas uma delas, mas ainda há outras soluções, como a de gestão de identidades e as relacionadas à Internet das Coisas, por exemplo”, completa Michel Medeiros, CEO da Soluti.

Michel Medeiros, CEO da Soluti
Michel Medeiros, CEO da Soluti

A operação da AC SOLUTI SSL estará num ambiente controlado pela Globalsign e auditado pela Webtrust. O nome da AC Soluti SSL constará na cadeia de confiança dos certificados emitidos pela GlobalSign de forma que, ao adquirir o certificado SSL/TLS através da AC SOLUTI SSL, a empresa receberá o selo de site seguro com a marca Soluti.

Brasil -. Em relatório publicado recentemente pelo site SecureList, a Kaspersky classificou o Brasil como o país com o maior número de ataques hacker direcionados ao setor financeiro.  Já segundo a Pesquisa Global de Segurança da Informação 2016, elaborada pela PWC, o número de ataques cibernéticos aumentou sete vezes mais no Brasil do que a média mundial em 2015 – enquanto no mundo a alta foi de 38%, por aqui chegou a 274%.

Não à toa, segundo a Vice-Presidente Regional da Globalsign para América Latina & Caribe, Laila Robak, “o Brasil é um mercado potencial com ótimas oportunidades de negócios, dada a intensificação contínua de ameaças digitais na região, como interceptação de informação, ataques de phishing e malwares. Diante desse cenário, e considerando o rápido crescimento da Internet das Coisas no mundo todo, o uso de certificados SSL/TLS contribui para proteger a comunicação online, criptografando as informações trocadas e, assim, mantendo a privacidade e segurança necessárias”. É justamente o SSL que impede qualquer tipo de decodificação da informação, que fica 100% segura e protegida pela criptografia.

 

Deixe uma resposta