Whatsapp: Novo golpe já atingiu mais de 200 mil usuários

O aplicativo de conversas WhatsApp tem sido cada vez mais alvo de hackers na tentativa de atingir os usuários por meio de golpes como falsas atualizações ou cobranças de taxas que não existem. Dessa vez, no mais recente problema que já atingiu mais de 200 mil pessoas, o usuário é atraído pela possibilidade de ativar uma suposta função de videochamada, podendo utilizar com até 5 pessoas simultaneamente.


 
Na tentativa de ativar esse novo recurso, o usuário é direcionado para um cadastramento do celular por meio de um SMS pago que contém vírus, segundo analistas da PSafe, empresa que desenvolve aplicativos de segurança mobile no Brasil. O anúncio sobre o serviço falso pode se espalhar tanto pelo aplicativo quanto pelo Facebook.

Em nota, o WhatsApp afirmou que não usa o aplicativo para enviar mensagens de atualizações para seus usuários e “trabalha cuidadosamente para reduzir as mensagens indesejadas que chegam por meio de seu sistema”.

A empresa ainda diz que sempre aconselha, em casos como esse, a “bloquear o remetente, desconsiderar a mensagem e apagá-la”.

Assim, para evitar o transtorno, a empresa de segurança dá dicas importantes:

Baixe somente aplicativos certificados e cuidado com atualizações externas
 

Procure baixar aplicativos e atualizações em lojas oficiais, como a Google Play ou Apple Store. Ainda assim, o ideal é checar a descrição do App para conferir se é verdadeiro e sem taxas extras. Caso contrário, você pode prejudicar o funcionamento do dispositivo móvel ou pagar valores extras sem necessidade.

Tenha um antivírus certificado instalado no seu smartphone

É ideal ter um programa que identifique vírus justamente porque se você deixar passar algo o aplicativo te avisa e orienta. “Um cérebro biológico não é capaz de se defender de ataques de um cérebro eletrônico”, ressalta Marco DeMello, CEO da PSafe. É por esse motivo que um aplicativo com funções de antivírus é importante.

Logo ao acessar o site deste vírus, por exemplo, o app identifica a página maliciosa e alerta o usuário, para que ele não caia no golpe. Com Infomoney