13º salário: Confira algumas dicas de como usar bem o benefício

0

Segundo a última pesquisa divulgada pelo Serasa, mais de 50 milhões de brasileiros estão endividados e devem usar o 13º salário deste ano para pagar as contas.

Outros também não contam com economias ou precisaram recorrer a ela por causa da pandemia provocada pelo coronavírus. Por isso, é preciso ter cautela para usar bem o dinheiro.

De acordo com Márcia Silva, gerente de investimentos na Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, o primeiro passo é planejar o que vai fazer com o benefício, lembrando que o valor também é descontado na folha de pagamento. 

“Faça uma planilha dividindo as prioridades e organize quanto você precisará para pagar dívidas, se houver, ou comprar um presente de amigo secreto, por exemplo, e nunca perca de vista a possibilidade de investir”.

Para os endividados, Márcia orienta que é muito importante escolher os valores mais altos e que geram juros maiores para priorizar o pagamento. “Com o dinheiro em mãos, é possível, em muitos casos, negociar as dívidas e conseguir um bom desconto, e até efetuar o pagamento integral à vista”.

pandemia

Também vale lembrar das contas do início do próximo ano. “Na hora que recebem o décimo terceiro, muitos acabam se esquecendo dos gastos de janeiro do ano seguinte, como IPVA, IPTU, matrícula escolar, entre outros.

Diante disso, é importante planejar o orçamento doméstico ao longo do ano. Com um bom planejamento anual, o benefício pode ser melhor aproveitado no final do ano, como para fazer uma viagem”, explica.

Se as dívidas foram quitadas e o valor das despesas de início do ano está reservado, a dica de ouro é investir. “Caso sobre parte do 13º vale buscar um rendimento extra ao invés de gastá-lo desnecessariamente”, explica.

Ainda de acordo com a especialista, é sempre bom ter em carteira de investimentos de curto prazo e que podem ser resgatados rapidamente, sempre que necessário. Durante esse período de pandemia, muitos precisaram recorrer a reserva para cobrir despesas inesperadas.

Pensando nisso, Márcia listou algumas dicas: 

1. Planejamento

Se planejar é o primeiro passo. Entender e decidir quais as prioridades e definir os tipos de investimentos e quanto aplicar são passos necessários para montar uma carteira sólida e diversificada, além de criar uma boa reserva de emergência.

2. Alinhe seu orçamento

Organize as contas. É importante entender quais são as suas despesas fixas e possíveis emergências. Se estiver gastando mais que o orçamento, fica mais complicado economizar.

3. Desperdício

Evitar despesas desnecessárias também ajuda a aumentar a reserva. Mesmo que já tenha atingido o objetivo inicial, coloque dinheiro extra, porque nunca se sabe por quanto tempo pode-se precisar desse recurso.

Por Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 159 mil associados.