1ª parcela do auxílio emergencial pode compensar janeiro e fevereiro

0

Com os avanços da PEC Emergencial que viabiliza o pagamento do auxílio emergencial este ano com uma margem de R$ 44 bilhões fora do teto de gastos. Recentemente o governador do Piauí, Wellington Dias, deu uma declaração após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) que o Congresso estuda compensar a falta que o auxílio fez nos meses de janeiro e fevereiro liberando assim uma primeira parcela maior aos cidadãos.

De acordo com Wellington Dias, há um grande vazio nos meses de janeiro e fevereiro com relação a falta de um auxílio para a população diretamente afetada pela crise econômica em decorrência da pandemia.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Logo, como o auxílio emergencial deve ser liberada este mês, para que possa ser preenchido essa lacuna, a primeira parcela pode ter um valor maior aos beneficiários. É importante lembrar que a nova prorrogação do auxílio emergencial trará três valores diferentes, sendo eles de R$ 175, R$ 250 e R$ 375, onde a composição familiar determinará qual valor a receber.

Caso a PEC Emergencial venha à ser aprovada hoje pela Câmara dos Deputados em segundo turno, o governo preparará uma Medida Provisória que contemplará as novas condições, valores e prazos do auxílio emergencial para 2021.

Primeira parcela liberada dia 18

Segundo cálculos do Palácio do Planalto, a expectativa é que o governo volte com os pagamentos do Auxílio Emergencial no dia 18, o que coincidiria com a data de pagamento do Bolsa Família.

Para o novo ministro da Cidadania, João Roma, é importante não perder está data, pois os cálculos ficariam mais complexos para a pasta.