2021: O que esperar do Empreendedorismo, Empregos e Sobrevivência?

0

Estando em um mundo globalizado com inovações tecnológicas motivadas pelos avanços da inteligência artificial, em momento de segunda onda da Pandemia da COVID-19, com vacinas e procedimentos em processo de planejamento, com incertezas futuras, habitando um país RICO, continental, com instabilidade econômica, política e social, fragilidade educacional e sanitária, desemprego em elevação, com uma população que se aproxima de 210 milhões de habitantes e envelhecendo rapidamente em que sua maioria tende a viver de aposentadoria, pensões e auxílios emergenciais, tais fatos nos obrigam a refletir sobre o futuro individual de cada um desses SERES HUMANOS.

Qualquer que seja a sua alternativa de sobrevivência, passa obrigatoriamente por um UPGRADE qualitativo de uma Educação de Qualidade, para que possa atualizar suas habilidades, competências, eixo prático, humanismo, criatividade, aprender Inglês e Mandarim, conhecer a Inteligência Artificial, e buscar empreender com profissionalismo e sobreviver.

Após estudos e pesquisas, eis algumas alternativas para identificar a NOVA classificação social:

  1. Os empregados, por tempo definido;
  2. Os Empreendedores que buscam sobreviver;
  3. Os Aposentados e Pensionistas, até quando a VIÚVA aguentar; 
  4. Os Desempregados que nada fazem, a não ser se lamentar;
  5. Os que pensam os que estão VIVOS (mortos vivos);
  6. Os demais sugadores da VIÚVA (livre escolha democrática).

A necessidade de elaborar um PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO FLEXÍVEL é vital para sobreviver em 2021, e aquele que negligenciar essa informação, pagará um elevado preço.

Vejo com muita intranquilidade essa especial situação que acontece no Brasil, e o mais gritante é a existência inequívoca de outros vírus que inibem o crescimento e o desenvolvimento dessa população, mas acredito que tudo passa nessa vida.

covid19

Estamos numa linha tênue, entre o CAOS e o INFERNO, sem nenhuma perspectiva de melhorias, essa COVARDIA e MEDO que abunda os brasileiros, provavelmente deverá comprometer a próxima geração, e talvez devam pensar em alternativas plausíveis com base em mudanças radicais.

As desigualdades sociais tendem a aumentar, ficando claro uma nova estratificação social, mas lembro de que se houver uma junção da base da pirâmide com os interesses e investimentos chineses, a mudança deverá acontecer de qualquer forma, e nascerá uma fênix com vigor suficiente para nivelar “socialmente” o sistema.

Ressalto que o Capital deverá estar a serviço do POVO, e talvez essa variável tenha viés diferenciado, mas exequível, pois há uma similaridade muito sensível entre a sociedade chinesa e a brasileira.

A VIDA nos causa muitas surpresas, quer sejamos empregados, empreendedores, ou mesmo desempregados, mas a massa populacional deve refletir sobre esse sistema que retrata essa desigualdade violenta, onde somente uma minoria domina uma maioria, por ter o Capital.

A minoria que detém o Capital com grandes pretensões em criar um nicho de mercado em que muitos não entenderão: 

  1. DIMITRY ITSKOV, milionário russo, trabalha desde 2015 até 2045, para dar longevidade aqueles que têm Capital;
  2. ELON MUSK, milionário sul africano, trabalho com a Neuralink, para implante cerebral nos seres humanos que tem Capital;
  3. ROBERT MCLNTYRE, CEO da Nectome, que visa preserva o cérebro e manter suas memórias intactas, para quem tem Capital.

A razão dos fatos implica dizer que a classificação social será: Os que têm Capital, e os que têm Conhecimento adquiridos através de uma Educação de Qualidade. 

“Em 2021, nesse cenário com tendências de grandes dificuldades, VOCÊ acha que sobreviverá se omitindo com essa sua letargia sem ação e atitude proativa”? Caso afirmativo, sugerimos elaborar um bom epitáfio.” (Elenito Elias da Costa e Levy da Costa).

Por ELENITO ELIAS DA COSTA, contador, auditor, analista, assessor, Vice Presidente da APROCON/CE, pesquisador, escritor, palestrante e Professor Universitário.