3 erros contábeis que podem prejudicar o seu cliente

Você está graduando em Ciências Contábeis ou acabou de se formar na área? Pois saiba que esse é um ótimo momento para conhecer os erros contábeis que podem prejudicar o seu futuro cliente ou empresa pela qual venha a trabalhar. Afinal, por que colocar em xeque a sua carreira em vez de evitar falhas grotescas?

Além disso, um dos motivos mais importantes para evitá-los é que, dependendo de como você pretende atuar na Contabilidade (escritório próprio, por exemplo), as suas atividades terão impacto sobre empresas pequenas e até microempreendedores individuais. Ou seja, os limitados recursos financeiros não dão margem a erros.

Todavia, o que há de tão grave a ponto de prejudicar um negócio? Mais adiante, apresentamos uma lista com três erros contábeis que devemos evitar. Vamos a eles?

1. Errar nos cálculos trabalhistas

Profissionais de Departamento Pessoal devem permanecer muito atentos a isso. Vamos supor que você preste serviços a uma empresa que acaba de demitir quatro de seus funcionários. Logo, parte do pessoal deverá acertar com a empresa os direitos e benefícios a receber no ato da rescisão contratual.

Diante do contexto, imaginemos que, desatento, você cometa erros bruscos ao calcular todos os valores devidos aos funcionários desligados. Piorando a situação: três deles foram consideravelmente prejudicados com o cálculo equivocado, enquanto o outro, com menos tempo de casa, tinha mais a receber do que os colegas.

Evidentemente, entre as consequências que possivelmente se confirmariam, como processos na Justiça do Trabalho, a empresa sofreria prejuízos financeiros desnecessários por culpa do contador.

2. Agir sem revisar as leis

Outro erro contábil típico: o contador, adaptado aos processos corriqueiros da área, deixa de consultar as leis antes de concluir os procedimentos. Não é novidade alguma que as leis no Brasil estão sujeitas a alterações a qualquer momento. Até por isso, cabe ao contador manter-se bem inteirado das novidades.

Pois bem, o que ocorre quando falhas desse tipo são cometidas pelas empresas? A resposta soa chocante, mas é simples: a companhia passa a agir fora da Lei. As penalidades impostas pelo estado variam conforme a infração, porém essa não é a única preocupação.

Quando a empresa participa de programas e recebe incentivos do governo, por exemplo, um dos principais requisitos para continuar a usufruir das facilidades é adotar boas práticas administrativas. Sendo assim, erros contábeis podem estremecer a relação entre o cliente e os órgãos públicos.

3. Negligenciar o lado estratégico da Contabilidade

Deixar de lado todos os aspectos estratégicos da Contabilidade para focar única e exclusivamente em cálculos é um problema. Ainda que erros contábeis dessa natureza não levem uma empresa a falir, eles são extremamente prejudiciais ao crescimento do negócio.

Supondo que o contador se conforme com a responsabilidade de fazer cálculos contábeis e assegurar que o cliente esteja agindo dentro das leis. Enquanto isso, os gastos da companhia não são controlados, a reserva financeira não vem sendo trabalhada, as contas pararam de fechar e, por fim, chega-se ao estopim.

Como a contabilidade não participou ativamente do planejamento e nem influenciou nas tomadas de decisão da empresa, a administração não se deu conta de que a austeridade financeira era necessária para o crescimento saudável e, também, para amenizar impactos negativos.

No mais, esses foram três dos principais erros contábeis que podem prejudicar o cliente. Fora tudo o que foi elencado até aqui, cabe salientar: a maioria das falhas que ocorrem são técnicas / procedimentais. Portanto um ótimo meio de coibi-las é direcionar os estudos a aspectos práticos.

Quer saber como fazer isso? Então sinta-se convidado a conhecer o curso Contador Profissional Na Prática.