Tempo de Leitura: 3 minutos

Não é incomum que, em determinado momento, qualquer tipo de empresa possa enfrentar problemas financeiros e, consequentemente, assumir algumas dívidas. Para sair da situação, é preciso planejamento, reorganização das estratégias e comprometimento, de modo a diminuir gastos desnecessários. Ou seja, é possível renegociar dívidas e voltar a ter as finanças organizadas.

E isso se torna bastante relevante na medida em que, por exemplo, para um negócio se desenvolver, faz-se necessário investir em expansão de mercado e em diversificação no mix de produtos e/ou serviços oferecidos. Porém, quando há o problema de dívidas, todo esse planejamento fica comprometido e a empresa não consegue seguir um ritmo de crescimento sustentável.

Assim sendo, se você está passando por essa situação e precisa de um direcionamento para renegociar as dívidas da sua empresa, neste post, listamos 4 dicas imperdíveis que vão ajudá-lo a tirar seu negócio do vermelho. Confira!

1. IDENTIFIQUE A ATUAL SITUAÇÃO DA EMPRESA

No geral, é importante que a primeira medida seja identificar, exatamente, a situação do negócio. Alguns empresários têm receio de investigar a realidade das finanças e, até mesmo, comunicar o problema aos demais interessados. Essa atitude atrasa a resolução da questão e impede que a empresa se restabeleça o mais rapidamente possível.

Não existe momento certo para comunicar que a empresa passa por problemas financeiros. Então, ao primeiro sinal, é preciso analisar o que tem feito as finanças saírem do controle e definir as estratégias para renegociar as dívidas.

2. ANALISE O QUE PODE E DEVE SER CORTADO

Nesse momento inicial, outra iniciativa que deve ser tomada é a análise de todos os custos da empresa. Do aluguel ao pagamento do contador, tudo precisa ser revisto, pois, muitas vezes, é possível encontrar preços muito mais competitivos para manter esses custos.

Anúncios

Lembrando que isso não significa, necessariamente, diminuir investimentos e número de funcionários. Pelo contrário, é preciso encontrar alternativas para manter o crescimento do negócio, diminuindo apenas o que for realmente desnecessário.

3. RENEGOCIE COM BANCOS E FORNECEDORES

Identificando todas as dívidas da empresa, é preciso entrar em contato com fornecedores, bancos e outros credores, a fim de renegociar valores e, até mesmo, prazos. Essa etapa é uma das mais simples, já que o empresário se mostrará aberto para pagar o que está em atraso. Com isso, quem precisa receber os pagamentos também estará mais flexível para encontrar soluções viáveis para ambos os lados.

A dica é priorizar as dívidas que têm taxas de juros mais altas. Em alguns casos, um empréstimo com juros baixos pode ser a solução mais interessante para resolver o problema. Já em outras situações, o que também pode ser feito é aumentar o prazo de pagamento para que as parcelas da renegociação não pesem muito nos custos mensais.

4. ESTEJA ATENTO AO FLUXO DE CAIXA

Um dos maiores problemas relacionados às finanças das empresas é a falta de controle do fluxo de caixa. Esse acompanhamento, que precisa ser sistemático, é essencial para saber exatamente todos os valores que entram e saem do negócio. Ou seja, é o instrumento que permite saber se há gastos excessivos e desnecessários, identificar as principais fontes de rendimentos, entre outras informações relevantes.

O fluxo de caixa precisa ser acompanhando todos os dias para que o empresário tenha a dimensão exata de como anda a saúde financeira da sua empresa. Assim, será muito mais fácil planejar os próximos passos do negócio, bem como pensar nas melhores soluções para os problemas financeiros.

Via Tutu Digital