Fazer uma empresa crescer depende, desde o início, de um bom planejamento estratégico, com definição de objetivos sólidos, uma boa equipe de colaboradores e uma divulgação eficiente.

Além disso, é necessário escolher o regime tributário mais adequado para o seu tipo de negócio, estruturando o planejamento financeiro e fazendo a gestão tributária que mais se enquadra ao seu modelo de atividades – ficando em dia com o fisco e a Receita Federal.

Confira 4 dicas de como escolher regime tributário para pequenas e médias empresas e acerte no gerenciamento das suas finanças.

Por que é importante saber como escolher regime tributário?

Saber como escolher o regime tributário é fundamental para estar em dia com a fiscalização e organizar o planejamento financeiro com assertividade.

O pagamento de tributos pode variar de acordo com o enquadramento, por isso é fundamental saber como escolher regime tributário da pequena e da média empresa.

O regime escolhido deverá ser utilizado pelo prazo de um ano, portanto, deve ser o mais adequado e vantajoso para o seu tipo de negócio, garantindo a qualidade das finanças.

Vale lembrar que o impacto de escolhas financeiras equivocas é sempre mais intenso em empresas de menor porte. Não coloque a saúde do seu negócio em risco! Faça essa escolha de maneira inteligente bem embasada.

Como escolher regime tributário para minha empresa?

Existem três tipos de regimes de tributação, o Simples Nacional, o Lucro Presumido e o Lucro Real, além do Lucro Arbitrado, que é imposto a algumas empresas em caso de divergências no pagamento de tributos.

Para saber como escolher o regime tributário para seu negócio, leve em consideração as nossas dicas:

  1. Faturamento e tipo de atividade

Cada tipo de regime tributário é voltado para diferentes estruturas de negócios. Para saber como fazer a escolha do enquadramento de tributos, pondere dois fatores principais, o faturamento e as atividades realizadas.

Empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões podem optar pelo Simples Nacional. Já para valores de até R$ 78 milhões, vale o regime de Lucro Presumido. Para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões, o regime a ser adotado é o Lucro Real.

Além disso, é preciso alinhar a lucratividade ao tipo de atividade. É importante que a área de contabilidade conheça exatamente o tipo de tributo que a sua empresa deve pagar, já que a carga incide de formas diferentes sobre cada atividade.

Saiba tudo sobre os tipos de regime tributário e seus enquadramentos.

  1. Microempresas podem fazer processo simplificado

Os Micro Empreendedores Individuais (MEI), as Empresas de Pequeno Porte (EPP), e as Micro Empresas podem gerir os tributos de forma bem mais simples utilizando o Portal do Empreendedor.

Essa é uma forma de garantir que esses pequenos negócios se mantenham em dia, sem a necessidade de investir muito tempo (e dinheiro) em processos altamente burocráticos.

  1. Mude de enquadramento se sua empresa crescer

Esteja atento aos balanços da empresa e faça as adequações necessárias sempre que o faturamento aumentar ou o tipo de atividade realizada passar por uma mudança.

Ver os números do seu empreendimento em escala ascendente é sempre muito bom, mas é preciso alinhar todos os processos obrigatórios para se manter sempre regularizado.

  1. Conte com suporte profissional

Mesmo que a sua empresa não tenho um setor contábil, você pode contar com o suporte de profissionais da área, que vão te orientar sobre como escolher o regime tributário e planejar suas financeiras de forma adequada.

Conteúdo original via Profap

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.