52% das mulheres que têm filhos sofrem preconceito no ambiente profissional

Uma pesquisa realizada pela Ticket, marca de benefícios da Edenred Brasil, revelou uma grande diferença entre o acolhimento que mães e pais encontram no mercado de trabalho. Segundo o levantamento, 52% das mulheres já sofreram algum tipo de preconceito no ambiente profissional por terem filhos, seja em processos seletivos e/ou em locais em que trabalharam. Já entre os homens, apenas 15% deram as mesmas respostas.

“Há uma constante luta por igualdade de gênero no mercado de trabalho, em equiparação salarial e oportunidades de crescimento profissional, e alguns aspectos deixam isso ainda mais evidente e merecem atenção por parte da área de recursos humanos. Essa diferença de tratamento que existe entre mães e pais é muito negativa para o mercado como um todo, pois pode desestimular talentos femininos e impedir o seu crescimento”, comenta José Ricardo Amaro, Diretor de Recursos Humanos da Ticket.

contas 4

A pesquisa também mostrou que alguns profissionais se sentem desconfortáveis ao terem de se ausentar do trabalho para alguma atividade ou urgência envolvendo o (s) filho (s). Entre as respondentes do sexo feminino, 25% sentem que a situação pode atrapalhar seu crescimento profissional; 24% disseram que o desconforto existe, mas de forma velada no trabalho; e 51% se sentem confortáveis, pois as empresas onde atuam estimulam os colaboradores a priorizarem as urgências familiares. Já entre os homens, 54% se sentem confortáveis e 29% se incomodam quando precisam se ausentar e 17% revelaram que o desconforto não é explícito na companhia.

Ao serem questionadas se enfrentaram alguma dificuldade profissional durante o período de gestação ou logo após o nascimento do bebê, 58% disseram que não sentiram, pois atuam em uma empresa que acolhe e apoia as mulheres durante essa fase, enquanto 41% relataram problemas, pois precisavam se ausentar para consultas e isso gerava reclamações, tiveram a capacidade profissional questionada durante o período ou, até mesmo, foram demitidas após retornar da licença maternidade. “Temos observado uma evolução no comportamento das companhias, que estão deixando de avaliar as profissionais de maneira imediatista e pensam no futuro delas dentro da empresa, o quanto podem se desenvolver. Algumas respondentes revelaram, inclusive, que foram contratadas durante a gestão ou com um bebê recém-nascido”, comemora Amaro.

Sobre a Ticket

Pioneira na criação do benefício de alimentação ao trabalhador no Brasil, a Ticket é protagonista na transformação digital do setor ao oferecer soluções inovadoras e de acordo com a legislação vigente. A marca possui benefícios tradicionais e flexíveis nos segmentos de alimentação, refeição, transporte, cultura, incentivos, recompensas, antecipação salarial, saúde, bem-estar, educação e home office, que atendem mais de 7 milhões de empregados beneficiados, 130 mil empresas clientes e 455 mil comerciantes credenciados. 

A Ticket foi a primeira a estar presente nos principais aplicativos de delivery de refeições e alimentos do Brasil e investe continuamente na criação de produtos e ferramentas para apoiar seus públicos, a exemplo da implementação de pagamento via QR Code e da plataforma Ticket Vantagens, que oferece descontos com cashbacks para quem usa seus benefícios. 

A Ticket é uma marca da Edenred, plataforma global e digital de serviços de meios de pagamento que atua como companheira de todas as horas para os trabalhadores, empresas e comerciantes. Líder em seu segmento, conecta mais de 50 milhões de usuários, 2 milhões de estabelecimentos e aproximadamente 900 mil empresas clientes, em 46 países.

Saiba mais

Site: https://www.ticket.com.br/.

Comentários estão fechados.