No artigo anterior, você conheceu três dicas bastante práticas sobre como formalizar as condições de pagamento e as condições comerciais do seu escritório contábil. Viu também quais as ações preventivas que podem ser tomadas para evitar a inadimplência e também as formas de pagamento que evitam os esquecimentos.

A sequência de hoje adiciona mais três dicas que você pode aproveitar imediatamente no seu escritório de contabilidade para afastar a crise e derrubar os índices de inadimplência. Vamos à elas!



1. Reorganize sua carteira de clientes

Você já teve ou ainda tem um cliente que atrasa freqüentemente o pagamento dos honorários? Se a dívida é uma rotina, saiba que dificilmente ele mudará de comportamento e é você quem deve tomar a decisão de tirá-lo de sua carteira, para proteger a saúde financeira do escritório e a qualidade do atendimento aos demais clientes.

Veja: quando seu cliente atrasa o pagamento pela segunda vez seguida, ele já quebrou seu fluxo de caixa e prejudicou sua empresa, não é mesmo? Quando ele fica três, quatro ou cinco meses consecutivos em inadimplência, ele passa a ser um fator de custo e não mais de receita. Portanto, você está pagando para trabalhar para ele. Faça a reorganização da sua carteira de modo constante, para manter os clientes rentáveis e substituir os que geram prejuízos.

2. Cobrar é preciso!

Ninguém deseja perder clientes, principalmente por um atraso pontual no pagamento dos serviços, não é mesmo? Por outro lado, não cobrar o que lhe é devido pode agravar a situação e criar um espaço confortável para o mau pagador.

Gilmar Duarte (contador e autor do livro “Honorários Contábeis”), explica que a pessoa responsável por fazer a cobrança dos clientes, deve ser treinada e capacitada para a função. Por ser uma situação bastante delicada, é preciso tato e também argumentos concretos como a lista de serviços contábeis prestados, o registro cronológico dos contatos de cobrança e os valores exatos. Se preciso, renegocie a dívida, mas não deixe de ter essa importante conversa com seu cliente devedor.

3. Proximidade: um valor que não tem preço

As estratégias citadas até aqui são altamente indicadas para a redução da inadimplência. No entanto, existe uma estratégia que não pode ser esquecida nunca, com crise ou sem crise: a atenção ao cliente.

Dedicar tempo para esse relacionamento tem impacto direto sobre a inadimplência no seu escritório contábil. Quanto mais próximo o contador for, e quanto mais valor ele entregar, ajudando o cliente a conquistar melhores resultados na operação, menor será a inadimplência. Essa proximidade pode acontecer por meio do apoio na tomada de decisão, conselhos de negócio ou ajuda na redução de custos, por exemplo. Não deixe de dedicar tempo para ouvir seus clientes e participar ativamente do negócio deles!

As seis estratégias apresentadas (Parte 1 e Parte 2) têm o objetivo de reduzir a inadimplência, preservando a integridade do seu fluxo de caixa e a rentabilidade do seu escritório contábil. Pronto para colocá-las em prática e mandar a crise para bem longe?

Marcelo dos Santos
Formado em Ciência Contábeis, Marcelo dos Santos tem MBA em Administração Global pela Universidade Independente de Lisboa e MBA pela Fundação Getúlio Vargas. Ganhou diversos prêmios como o Marketing Company on Technology Marketing e Grandes Sacadas de Marketing. Atualmente, é Chief Growth Officer (CGO) da ContaAzul.

[useful_banner_manager banners=18 count=1]

Comente no Facebook

Comentários