Acabou a faculdade e agora é o mercado organizacional que o espera. Criar carteira de clientes, visitar empresas, apresentar propostas, definir formas de atendimento, optar por um sistema contábil eficiente para o escritório e para as seus clientes. Enfim, partindo do pressuposto que você seja um contador iniciante, provavelmente ainda não conhece os erros mais comuns do contador iniciante, certo? Então acho que podemos te ajudar. Vem com a gente!

O mercado assimila e costuma acolher muito bem os entrantes que estão dispostos a aprender com os erros já cometidos por profissionais mais experientes da contabilidade. Assim como em qualquer área de atuação, o “calouro” no mercado contábil tem de lidar com a inexperiência e isso não é fácil. Não tenha vergonha de recorrer, mesmo que repetidas vezes, aos colegas veteranos para solucionar questões simples. A dica é simples: um erro mínimo é capaz de gerar um impacto grande e negativo para o seu cliente e, consequentemente, para a sua carreira profissional.

Os erros de contabilidade podem colocar uma empresa em grandes apuros. Isso porque o gerenciamento incorreto de suas finanças abre brechas para multas e outras consequências judiciais e fiscais. Dessa forma, é muito importante estar atento, a fim de evitá-los em sua rotina. Nessas horas, algumas soluções simples, e outras mais complexas, podem te ajudar a obter resultados melhores. Apresentaremos aqui 7 erros básicos que jamais podem ser cometidos pelo contador iniciante, e esperamos que isso o auxilie nessa difícil missão de captar clientes em início de carreira. Vamos lá:

1. Desconhecer as leis vigentes

Este é um erro clássico. As leis brasileiras mudam quase que diariamente, e isso implica em uma necessidade constante de atualização por parte dos contadores. Ser desatualizado não é uma opção existente no espectro do contador. Quando se trabalha com base na legislação, o princípio básico que o profissional deve ter em mente é de que mudanças surgem a qualquer instante. Neste caso, uma dica é básica: tenha um cronograma dedicado à releitura dos pontos mais importantes das leis e estude sempre. Uma fonte interessante de informações é o Conselho Federal de Contabilidade.

2. Não se atentar à importância da segurança e sigilo de informações

O contador trabalha com informações preciosas e muito valiosas das empresas e das pessoas físicas. E isso é muito sério. Fazer contabilidade em planilhas de Excel é pedir para ser engolido rapidamente pelos concorrentes. Em um mundo cada vez mais digital, um dos erros do contador iniciante é trabalhar com informações sigilosas sem o devido cuidado e até desconhecimento das leis que regem esta etapa. O ambiente virtual está repleto de ameaças que, geralmente, têm como alvo as credenciais usadas por funcionários operacionais dos escritórios contábeis.

Um equívoco ainda maior é de conceito: muitos contadores iniciantes delegam (e entregam) a Segurança da Informação para um profissional de Tecnologia da Informação (TI). Lembre-se: o contador, até por estar mais próximo dos balanços da empresa, deve tomar ciência das melhores práticas para lidar com os dados, ajudando a coibir a ação dos cibercriminosos. Seja parceiro do seu sistema contábil, a ponto de protegê-lo contra invasões.

3. Errar no cálculo de impostos

Contador que não consegue lidar bem com cálculos costuma se enrolar nos processos. Por mais que muitos sistemas realizem eletronicamente diversos cálculos, é o olhar do contador na revisão final que transfere qualidade aos documentos emitidos. O Brasil é um dos países com maior número de impostos do mundo, e cada um possui a sua alíquota, o enquadramento correto, etc.

Não tem como delegar isso para o sistema, certo? A responsabilidade atribuída ao contador na hora de fazer as contas é gigante e, geralmente, a tolerância para erros é mínima. Especialize-se nos cálculos. Faça, refaça, estude, troque informações com colegas. Compare empresas de sua carteira quando for tratar de um mesmo imposto ou tributo. Para evitar as possíveis falhas e inconsistências, o profissional que carece de afinidade com os cálculos pode investir em cursos específicos para se aperfeiçoar nesse imprescindível fundamento. Gostariamos de indicar o curso do pessoal do Viver de contabilidade. São especialistas em contabilidade com um curso realmente incrível e com absolutamente tudo o que é necessário para que você consiga desenvolver sua carreira profissional com mais segurança e uma extensa bagagem de conhecimento. Para conhecer basta clicar aqui.

4. Não aplicar os Princípios da Contabilidade

Um dos deveres do profissional contábil é o conhecimento e aplicação dos Princípios da Contabilidade. O descumprimento desse dever, infelizmente, está entre os principais erros do contador iniciante. Por exemplo, quando o contador deixa de registrar todas as ocorrências que afetam o patrimônio da empresa, independentemente do grau de influência ou se há incerteza, ele está negligenciando o Princípio da Oportunidade.

Então, se você estudou esse fundamento na faculdade, trate de revisá-lo sempre! O mínimo que as empresas esperam do contador é a aplicação dos seguintes princípios:

  • Competência;
  • Continuidade;
  • Controle;
  • Oportunidade;
  • Prudência; e
  • Registro pelo Valor Original.

5. Não emitir notas fiscais

A emissão de notas fiscais é um assunto muito sério. Quem deixa de emiti-las não retêm impostos e não documenta as vendas de produtos e serviços da gestão. Como consequência disso, o fisco não obtém as informações necessárias para tributar as operações financeiras. Em outras palavras, uma empresa que não emite notas fiscais está na ilegalidade.

E não pense que as contrariedades acabam por aí. Você pode emitir notas fiscais com dados equivocados e cometer outros erros, como: cálculo incorreto da alíquota, cadastro desatualizado de clientes, não armazenar os XMLs das notas. A fim de evitar qualquer problema contábil, é muito importante emitir as suas notas fiscais corretamente. Não se esqueça que existem diferentes tipos de documentos fiscais:

Cada prefeitura tem regras e procedimentos diferentes. Ou seja, você precisa entender o que é exigido pelo município e fornecer os dados e os documentos solicitados. Algumas prefeituras pedem certificado digital, enquanto outras pedem apenas login, senha ou frase secreta. E não se esqueça: o site da prefeitura pode sofrer instabilidades. Nessas horas, você não consegue gerar as suas notas fiscais e precisa ficar repetindo a atividade até obter sucesso, perdendo tempo e até mesmo a sua paciência.

6. Deixar o planejamento tributário de lado

Saiba que o Brasil é o país onde se gasta mais tempo calculando e pagando tributos. Um relatório do Banco Mundial afirma que, em 2016, as organizações nacionais gastaram cerca de R$ 60 bilhões com estruturas logísticas, contábeis e de recursos humanos para lidar com a burocracia — o que equivale à 1958 horas de trabalho.

Percebe-se, então, que você não pode se esquecer o planejamento tributário em seu dia a dia. Ele é uma ferramenta que o ajuda a encontrar as condições e os prazos ideias na hora de pagar tributos, sempre dentro da legalidade. O contador que não auxilia seus clientes no planejamento tributário onera o orçamento, faz com que ele pague mais do que precisa e não respeita às exigências tributárias. Desse modo, o planejamento tributário reduz custos e diminui os processos burocráticos em de seus clientes.

7. Deixar o cliente misturar finanças pessoais e empresariais

Abastecer o carro de uso pessoal com o cartão de crédito da gestão e ter apenas uma conta bancária para o negócio e a família são situações recorrentes na vida de seus clientes? Se a resposta foi não, parabéns. Você está no caminho certo na orientação profissional. Agora, se a resposta foi positiva, é melhor mudar de atitude a partir de agora. A mistura de orçamentos pessoais e empresariais impossibilita o acompanhamento do histórico financeiro e causa grandes confusões para a contabilidade.

Em outras palavras, você pode se meter em maus lençóis e, por exemplo, deixar o orçamento no vermelho e não pagar as contas no final do mês. Em vista disso, coloque em prática as seguintes dicas para seus clientes: ter contas bancárias distintas, definir o seu salário, monitorar gastos frequentemente e documentar e analisar resultados corretamente. A documentação e a análise de informações não são processos triviais. Na verdade, elas fomentam a tomada de decisões mais precisas, pois mostram se os resultados foram positivos ou não.

Ao não realizá-las, você comete um grave erro contábil. Desse modo, auxilie seus clientes a produzir relatórios específicos para cada setor do seu negócio, inclusive sobre os tributos pagos e as notas fiscais emitidas, por exemplo. A partir disso, você amplia o seu campo de visão sobre o presente e o futuro da empresa e consegue ser mais eficaz em sua rotina.

DICA EXTRA: O primeiro passo para contadores

Atenção você contador ou estudante de contabilidade, o trabalho para seguir com sucesso na carreira profissional é árduo, inúmeros são os desafios que vamos precisar superar nessa jornada. Mas tenha em mente que o conhecimento é o maior bem que você pode ter para conseguir conquistar qualquer que seja os seus objetivos. Exatamente por isso apresentamos para você o curso CONTADOR PROFISSIONAL NA PRÁTICA, o curso é sem enrolação, totalmente prático, você vai aprender todos os processos que um contador experiente precisa saber.

Aprenda como abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs. Tenha todo o conhecimento sobre Contabilidade, Imposto de Renda, SPED e muito mais. Está é uma ótima opção para quem deseja ter todo o conhecimento que um bom contador precisa ter, quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade que com certeza vai impulsionar sua carreira profissional!

Conteúdo original Makro System