84% das empresas criadas no Rio de Janeiro são MEI

Neste 1º de julho, o MEI completa 12 anos de existência. Ser microempreendedor individual virou uma oportunidade para muitas pessoas abrirem seu próprio negócio ou formalizarem a sua empresa de forma mais barata.

Nos cinco primeiros meses do ano, 84% das empresas criadas no Estado do Rio de Janeiro foram MEI, sendo alimentação fora do lar, indústria da base tecnológica, construção civil, moda e beleza as principais atividades abertas no período.

Abrir uma empresa é fácil. Difícil é manter a empresa funcionando. Para o diretor-superintendente do Sebrae Rio, Antonio Alvarenga, a pandemia trouxe inúmeros desafios para os pequenos negócios.

“Entre os pequenos negócios, o microempreendedor individual tem historicamente maior taxa de mortalidade. Os desafios são enormes, principalmente em um cenário de crise como a que vivemos. Por isso é importante que o empresário procure inovar para superar suas dificuldades. Ele deve aprimorar seus conhecimentos em busca da sustentabilidade do seu negócio. O Sebrae está preparado para colaborar, com cursos e treinamentos diversos, presenciais e online, nos temas mais procurados e necessários no momento atual, como finanças, transformação digital e planejamento estratégico”.

Essa realidade aconteceu com a microempreendedora individual Luciana Ludugerio.

Após perder o emprego no fim do ano passado, ela, que reside em Petrópolis, resolveu empreender e formalizou o seu negócio faz uma semana.

“Esse período de adaptação é um dos principais desafios que estou tendo. Já identifiquei que preciso melhorar minha precificação. Sou formada em Moda e sempre estive envolvida com o comércio. Nos últimos anos trabalhava como vitrinista. Com a crise, acabei sendo demitida, e resolvi tirar do papel um sonho antigo. Nessa nova fase, aproveitei todas as minhas experiências profissionais e apostando nas vendas on-line. Eu mesma produzo peças da linha comfy e também revendo lingeries”.

MEI

Designed by @yanalya / freepik
Designed by @yanalya / freepik

A formalização do MEI é um passo fundamental para garantir benefícios fiscais até o acesso a crédito diferenciado e garantias previdenciárias, trazer sua empresa para a formalidade pode ser um fator-chave para crescer e abrir mercado, além de negociar melhores contratos com seus fornecedores.

Para ser um microempreendedor individual é necessário faturar até R$ 81 mil reais/ano, ou seja, em média R$ 6.750 reais/mês, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e pode ter, no máximo, um empregado contratado que receba um salário-mínimo ou o piso da categoria.

O MEI é enquadrado no Simples Nacional e isento dos seguintes tributos federais: (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL).

Fonte: Sebrae

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática.

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Comentários estão fechados.