Sistema de Valores a Receber do Banco Central volta a funcionar hoje

Fique atento para não cair em fraudes. Consulta somente pelo site exclusivo. Veja aqui.

As consultas ao Sistema Valores a Receber (SRV) do Banco Central (BC) serão retomadas hoje, dia 14, por meio de uma plataforma exclusiva. Contudo, o acesso às informações agora será por meio de um site exclusivo.

Porém, é preciso estar atento pois o acesso às informações não poderá mais ser feito com o login do sistema Registrato, como aconteceu num primeiro momento. No novo site, o acesso será, necessariamente, com o login Gov.br.

O novo site para consultar o “dinheiro esquecido” nos bancos é o valoresareceber.bcb.gov.br. Neste local, o cidadão saberá se tem valor a receber e, caso positivo, receberá a data para conhecer esses valores e solicitar sua transferência, a partir do dia 7 de março de 2022

O que é o SVR?

O Sistema Valores a Receber é a nova ferramenta disponibilizada pelo Banco Central (BC). Ela deverá ajudar pessoas físicas e jurídicas a saber se elas têm dinheiro para receber de alguma instituição financeira.

Mas, como seria esse dinheiro esquecido? Por exemplo, valor que foi aplicado numa conta de instituição cooperativa, mas que nunca foi resgatado ou uma conta que foi encerrada, mas que ficou com algum residual. Fique sabendo que atualmente existem cerca de R$ 8 bilhões sob a posse de instituições financeiras que precisam ser devolvidos a pessoas físicas ou jurídicas.

A ferramenta está ligada ao sistema Registrato, lançado no início de 2021 pelo BC também, e que fornece relatórios sobre a relação dos cidadãos com as instituições financeiras, como financiamentos, chaves Pix, etc.

Como fazer para consultar o SVR?

O acesso agora será apenas com o login Gov.br e o cidadão precisará de um login nível prata ou ouro para acessar o SVR. Se o cidadão ainda não possuir login Gov.br, ele pode fazer seu cadastro gratuito pelo App Gov.br.

O tipo de login (prata ou ouro) também pode ser ajustado na plataforma. Todo o serviço é gratuito. Se estiver no aplicativo, clique no botão “Entrar com gov.br”, e se estiver no site, clique no botão “Criar conta gov.br”, em seguida digite seu CPF e siga as orientações para criar sua conta.

A criação da conta é imediata. O cidadão só precisa fornecer alguns poucos dados e criar uma senha. E tudo isso é oferecido gratuitamente.

Níveis de segurança da conta Gov.br

Ela é uma identificação que comprova em meios digitais que você é você. Com ela, você se identifica com segurança na hora de acessar serviços digitais. Ela é gratuita e está disponível para todos os cidadãos brasileiros.

A conta Gov.br pode ser utilizada para acessar serviços do SUS, inscrever-se no ENEM, consultar sua CNH ou Carteira de Trabalho digital, simular aposentadoria no Meu INSS, além de diversos outros serviços.

Ela tem três níveis de segurança e acesso, veja quais são:

Bronze:

  • Login único para acessar serviços digitais menos sensíveis;
  • Acesso parcial às funcionalidades do aplicativo gov.br;
  • Conta com nível básico de segurança, com acesso a poucos serviços digitais.

Prata:

  • Login único para um grande número de serviços digitais;
  • Acesso completo a todas as funcionalidades do aplicativo gov.br;
  • Conta com nível alto de segurança, com acesso a serviços que exigem reconhecimento facial ou acesso a bancos credenciados.

Ouro:

  • Login único para qualquer serviço digital, sem restrição de acesso;
  • Acesso completo a todas as funcionalidades do aplicativo gov.br;
  • Conta com nível máximo de segurança, principalmente para serviços mais sensíveis.

O Banco Central alerta sobre o risco de alguns golpes que podem ser aplicados. O serviço não será disponibilizado em nenhuma outra página da internet. Além disso, não serão feitos contatos telefônicos nem envio de links para as pessoas, para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais.

Portanto, se tentarem entrar em contato com você através de mensagens via SMS, WhatsApp, e-mail ou ligações não caia porque se trata de um golpe. O acesso é somente feito através dos meios explicados anteriormente.

Comentários estão fechados.