A independência que o MEI não tem

0
361
Faltam poucos dias para acabar o prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda, mas os Microempreendedores Individuais (MEIs) continuam com muitas dúvidas.
“O governo propaga a ideia de que o MEI não precisa de uma contabilidade formal, e não é verdade. Esse regime tributário tem formalismos complicados e obrigatórios. Entre eles, o mais comum é misturar a pessoa física com a jurídica. O contribuinte tem dificuldade de distinguir essas duas entidades”, explica Claudio Cifali, empresário contábil e especialista de outsourcing.
Os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2017, cerca de R$ 2.380 por mês, precisam acertar as contas com o leão até o dia 30 de abril.
Para chegar no valor a ser declarado, é preciso separar os rendimentos pessoa física, pagamentos e impostos, dos rendimentos do MEI (lucros pessoa jurídica). “Este é valor que deve ser colocado na declaração, não o que a empresa recebeu. O problema, para muitos microempreendedores, é que esses dados foram gerados no decorrer de 2017”, esclarece Claudio Cifali.
Este modelo de regime tributário traz certa autonomia, mas qualquer erro pode levar o contribuinte a cair na malha fina. Portanto, se as dúvidas persistirem recorra à contadores ou sites de contabilidade (como o Contabfácil) que formalizam os cálculos e dados necessários à serem declarados no IR 2018.
* Claudio Cifali é consultor, empresário contábil e sócio da Cifali-BPO. O executivo é graduado em Administração de Empresas e Ciências Contábeis, com MBA em Contabilidade Empresarial, além de especialização em Economia Internacional e em Finanças. Tem mais de 35 anos de experiência na execução e gestão de projetos de Business Process Outsourcing (BPO) em multinacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Coloque seu comentpario
Coloque o seu nome

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.