Não é difícil de imaginar a cena: a fiação do chuveiro quebra e só um eletricista pode resolver. Começa então uma saga – pede indicação para os amigos, procura cartão perdido no fundo da gaveta ou faz buscas em sites. Não acaba aí, ainda é preciso ligar para cada um pedindo orçamento, comparar preços e também verificar a disponibilidade na agenda. Esse mesmo processo era feito há alguns anos quando precisávamos comprar uma geladeira, uma TV ou pedir um delivery. A grande diferença é que hoje podemos fazer tudo isso em questão de minutos pelo celular, sem precisar levantar do sofá. 

Já é evidente que a evolução da tecnologia e principalmente o aperfeiçoamento da internet mudou o comportamento do consumidor. Pedimos comida, compramos roupas, móveis, eletrodomésticos, fazemos supermercado e muito mais – tudo com um clique. Não é por menos que só no primeiro trimestre de 2019, de acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o e-commerce teve alta de 16% no faturamento. A Associação ainda estima que em 2020, 50% das compras serão feitas online. Se a tecnologia já transformou a nossa relação com a compra de produtos, o mesmo está acontecendo com a contratação de serviços.  

Diferente da contratação tradicional, temos seleção, oferta, comparação e contratação em um só ambiente. No Brasil, do ponto de vista de produto, já evoluímos bastante, mas ainda temos todo um universo para explorar quando falamos do mercado de serviços online. O segmento de serviços engloba desde limpeza, psicólogos, terceirização da mão de obra, academia, escolas e outras mais variadas opções.  

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou esse ano que, pela primeira vez, praticamente dois terços da população do país (69,8%) possuem conexão com a internet. Se para o cliente a tecnologia trouxe rapidez e eficiência, para o prestador de serviço surgiu um novo desafio: como se destacar dentre tantas opções e variedades de serviços

Sem dúvidas, a experiência do consumidor se tornou uma das maiores vantagens competitivas do mercado online. Uma pesquisa do Instituto Ipsos mostrou que após passar por uma única experiência negativa com alguma marca, 52% dos entrevistados contaram a amigos e familiares e 29% deixaram de utilizar serviços da marca ou reduziram o consumo. Da mesma forma que a tecnologia deixou os consumidores ainda mais conectados e ampliou a alternativa e canais de serviços, também aumentou o nível de exigência em relação a qualidade, preço e experiência. 

O número de pessoas que compram pela internet só cresce e cada vez mais empresas apostam no e-commerce. A corrida pelo cliente de serviços nesse canal já começou e, claro, ganha quem oferecer o melhor mix de experiência e preço.

Por Bianca Amaral, diretora de operações da Tempo Tem

SOBRE A TEMPO TEM – A Tempo Tem é uma startup brasileira que oferece soluções rápidas e inovadoras com o propósito de transformar a relação das pessoas com a prestação de serviços.