De acordo com a Receita Federal, o Brasil teve 2,8 milhões de empresas abertas até a última contagem feita em outubro de 2019, um crescimento de 18% em relação ao mesmo período de 2018. As empresas abertas sobre o regime MEI (Microempreendedor Individual) aumentaram 23%, com um total de 2,2 milhões, enquanto os não-MEI aumentaram 5%, 550 mil registros a mais. O saldo de empresas abertas e empresas baixadas, excluindo o MEI, foi de 223 mil contra 201 mil em 2018, um crescimento de 11%.

“A instabilidade econômica vivida pelo Brasil, que gerou a alta do desemprego, foi um dos acontecimentos que contribuíram para o aumento de CNPJ’s abertos. Muitas pessoas começaram o seu próprio negócio, outras passaram a atuar como profissionais liberais ou freelancers para se adequarem a esse cenário”, afirma Vitor Torres, Fundador e CEO da Contabilizei, o maior escritório de contabilidade do país e pioneiro no desenvolvimento dos serviços online. Agora com a retomada da economia, os números devem ser ainda maiores, haja visto que em 2019, a participação do MEI na abertura de empresas foi de 77%.

“As pessoas já tomaram a iniciativa de empreender durante a crise, agora, com a economia se recuperando, ainda que lentamente, a tendência é que esse seja um caminho ainda melhor e mais forte”, analisa o CEO. A região Sudeste aparece com o maior crescimento absoluto em abertura de empresas, com 19,9% frente ao ano anterior, mas é a região Norte que teve o maior percentual de abertura, com 20,3% de incremento. Os estados que mais se destacaram na comparação anual foram: Amazonas (27,3 mil; +24,6%); Pará (54 mil; +24,1%); São Paulo (830 mil; +23,7%) e Santa Catarina (137 mil; 22,3%);

Dentre as cidades, três delas têm um maior destaque em crescimento, sendo apenas uma capital: Manaus (+32%), São José dos Campos (43,5%) e Guarulhos (49%). “As regiões Norte e Nordeste, assim como o interior de São Paulo, tem crescido significativamente em número de CNPJ’s, isso porque estas regiões passaram a ser mais vistas e tem mostrado um excelente desenvolvimento como pólo comercial fora das regiões Sul e Sudeste, que já estão mais saturadas”, diz Torres.

Um fator muito interessante, de acordo com os dados internos da Contabilizei, é que houve aumento do empreendedorismo feminino, já que 25% das aberturas de empresa feitas por mulheres,indicador que era 18% em 2016. Outro dado que chama atenção é a média de idade desses novos “empreendedores”, que fica em 36 anos. Dos 36 aos 50 é a faixa etária que mais cresceu ano a ano, pulando dos 34% em 2018 para 37% em 2019. Ao que tudo indica, 2020 será um ano ainda melhor na economia e a expectativa é que novos CNPJ’s continuem crescendo ano a ano.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta. E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Sobre a empresa: Fundada em 2013, a Contabilizei é hoje o maior escritório de contabilidade do país e pioneira em oferecer o serviço totalmente online.