Açougueiro: saiba como se tornar um MEI

0

A profissão de açougueiro vem ganhando espaço no mercado, que têm se tornado cada vez mais exigente. Por isso, os profissionais que atuam nesse setor têm buscado se capacitar através de cursos profissionalizantes, que garantam treinamento e técnica para lidar com facas e máquinas de corte de carnes.

Além disso, buscam oferecer um serviço de qualidade, de acordo com a preferência dos clientes e com a higiene possível. Não existe uma formação necessária para se tornar açougueiro. Uma boa opção para se desenvolver nesta profissão, é se registrar e formalizar a atividade.

Mas, ao lembrar de todas as burocracias, você deve estar se perguntando como isso irá te ajudar. Então, continue acompanhando este artigo e veja como é simples garantir algumas vantagens para expandir sua profissão. 

Como se tornar um açougueiro profissional? 

Se você está interessado em abrir seu próprio negócio de cortes de carne ou oferecer seu trabalho para uma empresa, seja ela casa de carnes, supermercado e afins, saiba que é possível se formalizar por meio da categoria MEI (microempreendedor individual). 

O registro pode garantir mais segurança aos clientes, além de demonstrar que se trata de um profissional capacitado para desempenhar essa função tão importante. Por isso, saiba que a profissão está entre as atividades permitidas ao MEI, que deverá se registrar com o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 4722-9/01.

O CNAE serve para definir de forma padronizada as atividades econômicas do país. Por isso, os profissionais cadastrados podem realizar alguns serviços relacionados ao código da atividade. Para açougueiro, veja quais são eles: 

Abate de animais associado ao comércio; 

Abatedouro de animais associado ao comércio; 

Aves abatidas frescas, congeladas, frigorificadas; 

Açougue; 

Carne bovina; 

Carne de caprino, ovino, equídeo; 

Carne suína; 

Carnes frescas, frigorificadas, congeladas; 

Casa de carnes; 

Frango abatido; 

Miúdos, vísceras; 

Pequenos animais abatidos. 

Critérios para formalização 

Falamos acima que a profissão de açougueiro é permitida na categoria MEI, contudo, é importante ressaltar que o interessado deverá cumprir outros critérios para se formalizar e, dentre eles está o faturamento máximo de até R$ 81 mil por ano.

O empreendedor também não pode ter outra empresa ou ser um administrador de outro negócio registrado. 

Designed by @aleksandarlittlewolf / freepik
Designed by @aleksandarlittlewolf / freepik

Vantagens 

O profissional que se formaliza conta com algumas vantagens como a emissão de notas fiscais, o que dá mais confiança e garante segurança jurídica ao serviço. Além disso, têm acesso mais facilitado à ferramentas que possuem o objetivo de ajudar no desenvolvimento do empreendimento, como por exemplo, o acesso a empréstimos, financiamentos e cartões de crédito. 

Vale lembrar que o MEI paga menos impostos e não precisa enfrentar tanta burocracia para pedir seu registro, pois tudo é feito de forma bem simples, via internet. Também é importante saber sobre a cobertura previdenciária: o profissional passa a contar com seis benefícios pagos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), são eles: 

  • salário-maternidade, 
  • auxílio-doença, 
  • auxílio-reclusão, 
  • pensão por morte, 
  • aposentadoria por invalidez 
  • aposentadoria por idade

Quanto custa ser MEI?

Para garantir esses benefícios, é preciso fazer a contribuição mensal à Previdência Social, que deve ser pago por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). Mas saiba que a quantia é fixa e dependente da atividade desenvolvida pelo empreendedor.

Nesta guia constam valores relacionados à contribuição para a Previdência Social, além dos tributos ICMS e ISS. Então, para aqueles que querem se registrar ainda esse ano, os valores são: 

  • Comércio e Indústria: R$ 56,00 (INSS + ICMS)
  • Serviços –  R$ 60,00 (INSS + ISS)
  • Comércio e Serviços – R$ 61,00 (INSS + ICMS/ISS)

Como abrir um MEI?

O registro é feito mediante o cadastro dos dados solicitados via Portal do Empreendedor, que possui novo endereço de acesso: Portal gov.br. depois busque pela área de “Empresas & Negócios”. Para isso, siga o passo a passo: 

  • Acesse o portal do Empreendedor e informe seu CPF; data de nascimento e DIRPF (Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física) caso tenha declarado nos últimos 2 anos; 
  • Se você for isento, informe seu título de eleitor;
  • Depois registre os dados da atividade desenvolvida; 
  • Desta forma, você deve conferir seus dados e clicar em enviar;
  • Feito isso, uma mensagem aparecerá informando que o cadastro foi realizado e você pode imprimir o Certificado do MEI.

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Por Samara Arruda