Agenda tributária: veja as obrigações que devem ser cumpridas nesta semana

O cumprimento das obrigações dentro do prazo fixado pela legislação, evita o pagamento de multas e outras penalidades que podem prejudicar o empreendimento.

Vale destacar que é através dessas informações, que a Receita Federal acompanha o desenvolvimento do empreendimento e confere a regularidade da empresa. 

Então, para te ajudar, reunimos neste artigo as principais obrigações tributárias que precisam ser cumpridas nesta semana.

Elas se referem a uma escrituração e duas declarações, cuja transmissão deve ser feita até o dia 30. Então, veja quem deve fazer e como apresentá-las ao Fisco. 

ECD

A primeira obrigação que destacamos é a Escrituração Contábil Digital (ECD), que deve ser enviada até 30 de julho. Essa escrituração reúne informações dos  livros contábeis, balanços e fichas de lançamento da empresa.

Neste ano, estão obrigadas a fazer a escrituração da ECD as pessoas jurídicas, inclusive as equiparadas e as entidades imunes e isentas, obrigadas a manter escrituração contábil nos termos da legislação comercial.

Nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão total ou parcial, a ECD deverá ser entregue nos seguintes prazos:

  • Se o evento ocorrer no período compreendido entre janeiro a junho, até o último dia útil do mês de julho; 
  • Se o evento ocorrer no período compreendido entre julho a dezembro, até o último dia útil do mês subsequente ao do evento;
Designed by @drobotdean / Freepik
Designed by @drobotdean / Freepik

Para fazer a ECD, é necessário utilizar o Programa Gerador de Escrituração (PGE) em sua nova versão, que está disponível através do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).

DME 

A Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie (DME) é utilizada para informar todas as movimentações financeiras que são relacionadas à prestação de serviços, aluguel, transferência de bens e direitos ou outras operações similares.  

Esse documento deve ser apresentado pelos seguintes contribuintes:

  • pessoas físicas residentes ou domiciliadas no Brasil, 
  • pessoas jurídicas residentes ou domiciliadas no Brasil,

Em ambos os casos, é preciso ter recebido valores em espécie cuja soma seja igual ou superior a R$ 30.000,00 ou o equivalente em outra moeda.

Diante disso, o envio desta declaração deve ser feito através do e-CAC. Para isso, basta procurar pela opção “apresentação da DME”. Dentre as informações que precisam constar nesta declaração, estão: 

  • dados de todos os envolvidos na operação;
  • descrição dos bens, direitos, serviços ou operações dos valores que foram recebidos;
  • código que consta na tabela de bens, direitos, serviços ou operação referente ao recebimento (pode ser verificado nos Anexos I e II disponíveis no site da Receita Federal);
  • valor líquido em espécie real;
  • moeda usada na operação;
  • data da operação;

Depois de preencher todas as informações, assine o documento digitalmente. Em caso de dúvidas, basta acessar o manual para envio da DME que está disponível no site da Receita Federal. 

DOI 

As operações imobiliárias que são realizadas no país também precisam ser informadas à Receita Federal. Para isso, é utilizada a Declaração sobre Operações Imobiliárias (DOI), cuja responsabilidade é dos representantes de Cartórios de Ofício de Notas, Registro de Imóveis e de Títulos e Documentos.

Eles devem prestar informações sobre operações imobiliárias realizadas por pessoas físicas e jurídicas, cujos documentos foram por eles lavrados, anotados, matriculados, registrados e averbados e que se enquadrem nos parâmetros estabelecidos pelos dispositivos legais. 

Para fazer essa declaração, o responsável pelo Cartório deve utilizar um certificado digital para assinar o documento e enviá-lo através do programa gerador da Declaração sobre Operações Imobiliárias.

Prorrogação

A ECF (Escrituração Contábil Fiscal) que também deveria ser apresentada ao final deste mês, teve sua data de entrega prorrogada. Então, contadores e gestores terão um prazo maior para apurar as informações e fazer a sua escrituração que precisa ser enviada até setembro. 

Através deste documento, são informadas à Receita Federal informações sobre o Imposto sobre Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL).

A sua entrega deve ser feita por meio do programa validador da escrituração que é acessado através do SPED. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.