Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, deixou bem claro, que “não há espaço” para prorrogação do Auxílio Emergencial de R$ 600. Ele disse, que concorda com o governo e que é necessário abrir “um caminho”. embora, ele tenha dito que o debate sobre o assunto deverá ser feito em outro momento.

Enquanto isso, o governo estuda uma prorrogação do auxílio, com um valor entre R$ 200 e R$ 300, que deverá acontecer entre dezembro de 2020 e março de 2021.

Em relação o teto de gastos, o presidente da Câmara dos Deputados, afirma que Paulo Guedes, ministro da economia concorda que ele não será desrespeitado.

“A Câmara não vai pautar nenhuma prorrogação do estado de calamidade”, disse ele em sua conta no Twitter. De acordo com Paulo Guedes, os conselheiros que defendem que Bolsonaro rompa o teto de gastos fazem o presidente entrar numa área de incertezas, que pode levar à irresponsabilidade fiscal e impeachment.

Pagamento da 5ª parcela

A partir de amanhã (18), começa o pagamento da 5ª parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600,00, para os beneficiários do Bolsa Família. Começando com o NIS de final 1, e terminado no dia 31 de agosto com o NIS de final 0. O Bolsa Família não precisa aguardar por um segundo cronograma para fazer saque em espécie do auxílio.

Os beneficiários que não recebem do Bolsa Família, receberão o recurso por depósito em poupança digital pelo aplicativo Caixa Tem. Inicialmente, o dinheiro só pode ser usado para pagamento de contas e boletos e compras por meio de cartão virtual, e só em um segundo momento o recurso é liberado para saques e transferências.