Alíquotas das contribuições mensais do INSS passam por reajuste em 2021

0

Recentemente o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fez um reajuste no teto dos benefícios pagos pela autarquia, elevando o valor máximo do recurso de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57.

Essa mudança também afetou as faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, trabalhadores avulsos e domésticos.

Diante do reajuste de 5,45% com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), os contribuintes que recebem menos, consequentemente, irão pagar valores menores ao INSS, e vice-versa.

Os novos valores devem entrar em vigor a partir do mês de fevereiro, uma vez que não há relação alguma com os salários de janeiro. 

Portanto, os recolhimentos referentes aos salários do mês de dezembro de 2020 e efetuados em janeiro deste ano, ainda obedecem a tabela do ano-calendário anterior. 

Devido a Reforma da Previdência, as taxas mencionadas serão progressivas, o que quer dizer que serão descontadas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa estipulada, fazendo com que o percentual seja descontado do montante integral de ganhos, a alíquota efetiva, tornando-a menor.

Por exemplo, o trabalhador que recebe R$ 1.500,00 vai pagar 7,5% sobre R$ 1.100,00, ou seja, R$ 82,50 mais 9% perante os R$ 400,00 que excedem esse valor R$ 36,00, resultando em R$ 118,50 de contribuição.

Com base na correção mencionada, as novas faixas de cálculo da contribuição a serem pagas mensalmente pelos trabalhadores, fica da seguinte maneira: 

  • 7,5% para quem recebe até um salário mínimo (R$ 1.100);
  • 9% para quem recebe entre R$ 1.100,01 e 2.203,48;
  • 12% para quem recebe entre R$ 2.203,49 e R$ 3.305,22;
  • 14% para quem recebe entre R$ 3.305,23 e R$ 6.433,57.

Simulação

Conforme o diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBPD), Emerson Lemes, o cálculo das contribuições para trabalhadores que recebem salários diversos, por exemplo, aqueles que recebem até um salário mínimo, irão pagar R$ 0,83 a menos por mês. 

Já o trabalhador que recebe um salário superior a R$ 6.433,57, deverá arcar com uma contribuição de R$ 751,99, o que representa R$ 38,89 a mais do que em 2020.

Isso ocorre devido às limitações na contribuição perante o teto previdenciário.

Veja na tabela a seguir: 

Reajuste salarial

Na oportunidade, Emerson ainda declarou que somente os salários superiores a R$ 6.156,00 contarão com um aumento no valor das contribuições relativas a 2020, ressaltando que essa regra não se aplica aos trabalhadores que tiveram um reajuste de salários neste mês. 

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Por Laura Alvarenga