Analista de recrutamento: quais são as funções desse cargo?

As funções do analista de recrutamento e seleção, também chamado de analista de R&S não se resumem apenas ao anúncio de vagas e a realização de entrevistas.

Ao contrário do que muita gente pensa, as funções do analista de recrutamento e seleção, também chamado de analista de R&S não se resumem apenas ao anúncio de vagas e a realização de entrevistas. 

Na verdade, esse profissional é responsável por executar várias atividades e dominar tecnologias que facilitem o encontro entre a empresa e o profissional que ela procura. 

Mas, essa confusão sobre as funções desse profissional é resultante do fato de que muitas pessoas não sabem o que faz um analista de recrutamento e seleção.

Por isso, para orientar gestores e profissionais interessados na área, vamos explicar cada um dos tópicos abaixo.

O que é um analista de recrutamento e seleção?

O analista de recrutamento e seleção é o profissional responsável por gerenciar, organizar e planejar todas as etapas de recrutamento e seleção de uma empresa. 

Para isso, esse profissional utiliza conhecimento, técnicas e até tecnologias para atrair talentos, anunciar vagas, fazer entrevistas, entre outras atribuições. 

Assim, ele consegue encontrar o perfil profissional estratégico para otimizar as equipes da empresa.

Qual a importância desse cargo para a empresa?

O analista de recrutamento é um profissional essencial para a empresa que deseja otimizar suas atividades e melhorar sua produtividade. Geralmente, ele integra o Departamento de Recrutamento e Seleção da corporação, mas também pode atuar junto ao Departamento de Recursos Humanos (RH).

Outras empresas preferem contratar esse profissional de modo temporário, contratando como Pessoa Jurídica (PJ), o que também é válido para se fazer uma boa seleção. 

Seja qual for a forma de contratação e o setor de lotação desse colaborador, o importante é entender que, com o auxílio desse analista, a empresa tem mais chances de encontrar o profissional que precisa. 

E o melhor: pode fazer tudo isso de forma mais eficiente, organizada e rápida

Quais são as principais funções do analista de R&S?

Para que o analista de R&S realmente consiga fazer a diferença na empresa em que trabalha, é importante que ele saiba desempenhar as seguintes funções:

Descrição e alinhamento de vagas

Um processo de recrutamento eficiente começa antes da seleção, com uma boa descrição da vaga. Para isso, primeiro o analista de R&S deve entrar em contato com os gestores e o setor de RH.

Assim, ele poderá entender qual o perfil de profissional que a empresa precisa, quais as funções que ele deve desempenhar, entre outras informações relevantes.

Em seguida, o analista deve descrever a vaga, alinhando as expectativas do contratante com um texto claro e de fácil compreensão para os possíveis candidatos. 

De acordo com Robert Walters, empresa especializada em recrutamento, essa descrição deve conter informações objetivas e corretas. 

Por isso, o texto contém informações tanto sobre a empresa contratante, quanto sobre os requisitos do cargo, faixa salarial, benefícios, entre outros dados que atraem bons candidatos. 

Divulgação de vagas

Saber divulgar uma vaga é tão importante quanto descrever o cargo da forma correta. Para isso, o analista de R&S deve entender o público-alvo e a persona que a empresa procura. Ele também precisa ajustar o layout do anúncio, valorizando a vaga e deixando o texto mais atraente aos candidatos. 

Além disso, esse profissional deve saber como adaptar e publicar esses anúncios em diferentes plataformas de divulgação de vagas, como sites de vagas de emprego, redes sociais e no site da própria empresa contratante.

Triagem de currículos 

A triagem de currículos é uma das fases eliminatórias do processo de seleção e recrutamento. Nessa fase, o recrutador deve filtrar e selecionar os candidatos que apresentam o perfil estratégico que a empresa busca para ocupar a vaga. 

Esse tipo de análise pode ser feita de diferentes formas. Porém, geralmente o analista foca nas informações sobre formação, experiências profissionais e demais informações que indicam a personalidade do candidato.

Como essa etapa pode ser cansativa em função do volume de currículos, é importante que o profissional utilize algum método para otimizar esse processo. 

Entrevista

entrevista é considerada a etapa mais importante do processo de seleção. Por isso, um bom recrutador deve saber conduzir a conversa, ser capaz de fazer as perguntas certas para conhecer o candidato e extrair as informações necessárias para a sua avaliação. 

Análise de perfil do candidato

Além dos recursos anteriores, o analista também deve saber aplicar e avaliar testes, além de conduzir outras avaliações durante o processo de seleção. Para isso, ele pode fazer o mapeamento do perfil do candidato, por exemplo. 

Esse mapeamento permite a aplicação de questionários, realização de dinâmicas, entre outros testes que permitem ao recrutador conhecer qual é o perfil profissional e comportamental do candidato. 

Feedback aos candidatos

Após concluir as etapas anteriores, é importante que o recrutador envie um feedback, um retorno sobre a situação do candidato. O ideal é que essa resposta seja enviada a todos os participantes do processo seletivo, mesmo àqueles que não foram aprovados.

Assim, a empresa mostra sua conduta ética para com seus colaboradores e com o público em geral e ainda evita um mal-estar desnecessário entre empresa e candidato.

Acompanhamento de indicadores de recrutamento e seleção

Finalizada a seleção, é importante que o analista de recrutamento acompanhe os indicadores desse processo. A análise desses indicadores permite a avaliação do desempenho e a eficiência das contratações da empresa.

Para isso, o recrutador deve levar em consideração os seguintes pontos:

  • Engajamento dos candidatos: envio de currículos, participação nas etapas do processo seletivo e nível de satisfação do processo;
  • Efetividade dos meios de divulgação da vaga: é importante analisar se a forma e o método de divulgação de cargos disponíveis na empresa está realmente atraindo os profissionais que se encaixam no perfil da vaga;
  • Custo do processo seletivo: avaliação do preço e do tempo necessário para finalizar o processo;
  • Qualidade do trabalho do profissional contratado: análise do desempenho do colaborador no período pós-contratação;
  • Taxa de rotatividade dos profissionais contratados: além de atrair talentos, a empresa também precisa reter esses profissionais na empresa, evitando o chamado turnover. Caso isso não esteja acontecendo, é importante entender o motivo e realizar mudanças.

Gestão dos processos de R&S da empresa

Por fim, o analista de recrutamento e seleção é responsável por gerenciar todos os processos de contratação da empresa. Ou seja, ele deve organizar e executar todas as etapas anteriores, de forma organizada e eficiente. 

Assim, ele auxilia na formação de equipes de alto desempenho, compostas por profissionais alinhados à sua função e à cultura da empresa contratante.

No entanto, a forma como o analista conduz esse processo pode variar de acordo com o cargo que ele ocupa. Entenda abaixo.

Quais os níveis para o cargo de analista de recrutamento e seleção?

Um bom recrutador deve saber executar todas as funções descritas anteriormente. Porém, ao ser contratado, a realização e a complexidade de suas atividades podem variar de acordo com seu nível profissional e o tipo de vaga que ocupa. 

Por isso, o analista pode encontrar vagas com as seguintes especificações:

Júnior

É o analista recém-formado, que não tem muito tempo de experiência e, por isso, assume a realização de tarefas mais simples. Por isso, seu salário também é menor.

Pleno

Trata-se do recrutador que apresenta um nível de formação mais completo, incluindo também uma pós-graduação ou MBA na área. Esse profissional apresenta mais de 5 anos de experiência, o que significa que ele deve apresentar uma maturidade profissional maior. 

Por isso, ele possui competência técnica e teórica para desenvolver tarefas mais complexas e tomar decisões. No entanto, a palavra final sobre certas atividades ainda depende da aprovação de um superior. 

Por outro lado, em função de sua capacitação e experiência, o salário do analista R&S Pleno também é maior em comparação ao profissional júnior.

Sênior

Dos três níveis da analista, o profissional sênior é o mais capacitado. Ele possui uma excelente formação e muito tempo de experiência como recrutador. Algumas empresas chegam a exigir cerca de 10 anos de experiência para esse tipo de analista. 

Em compensação, em função de sua bagagem, o sênior tem autonomia para tomar decisões, liderar projetos e atividades. Por isso, ele também recebe o salário mais alto.

Como se tornar um analista de recrutamento e seleção

Ficou curioso para saber como ingressar na carreira de analista de R&S? Então veja quais características esse profissional deve apresentar para ser contratado:

Formação necessária

Como não existe um curso superior que forme profissionais específicos para o cargo de analista, geralmente as empresas exigem que o candidato seja formado em Psicologia, Gestão de Recursos Humanos, Administração ou áreas correlatas. 

Para complementar essa formação, muitas empresas também podem exigir a realização de algum curso de especialização ou de curto-período que comprove a capacidade do profissional em atuar na área de recrutamento e seleção. 

Ou seja, é importante que o recrutador invista no desenvolvimento de suas hard skills para mostrar que tem capacidade técnica para realizar seu trabalho.

Skills esperadas

Ter uma boa formação e um bom currículo é importante. Porém, as empresas também estão em busca de profissionais que apresentem soft skills, isto é, as habilidades sociais e de comunicação certas para trabalhar em grupo, lidar com pessoas e com desafios.

No caso do analista, geralmente as soft skills esperadas são:

  • Excelente comunicação;
  • Ter a habilidade de estabelecer bons relacionamentos interpessoais;
  • Saber e gostar de lidar com pessoas;
  • Ser um bom ouvinte e um bom observador para entender o que a empresa precisa e se o candidato se encaixa na vaga;
  • Ser uma pessoa organizada e saiba se planejar;
  • Comprometimento com suas tarefas e proatividade dentro da empresa;
  • Disposição para aprender e crescer na empresa;
  • Se manter atualizado sobre atualizações na área de RH e recrutamento.

Quais ferramentas o analista de R&S precisa dominar?

A tecnologia mudou a forma como as empresas selecionam os candidatos. Por isso, ferramentas de recrutamento online têm sido cada vez mais utilizadas. Nesse cenário, além das habilidades anteriores, o recrutador também precisa dominar as seguintes ferramentas:

Sistema de recrutamento e seleção

Muitas empresas disponibilizam sites que permitem ao candidato enviar sua inscrição no processo seletivo de forma online. Para isso, a empresa utiliza um software que vai organizar e analisar os dados. 

Além disso, o programa oferece filtros que permitem a seleção de palavras-chave, que facilitam o encontro entre o candidato ideal e o perfil estratégico que a empresa procura.

Como o uso desse tipo de programa está ficando cada vez mais comum, é fundamental que o analista de R&S conheça essa ferramenta.

Ferramentas de videochamada

O regime de trabalho home office e o modo de recrutamento online também exige que o analista esteja apto para realizar reuniões e entrevistas virtuais. Por isso, saber utilizar plataformas como Google Meet, Zoom e Skype é uma habilidade importante.

Softwares de análise comportamental

A tecnologia também permitiu a criação de softwares que otimizam o processo de recrutamento e o trabalho do RH. 

Esse tipo de programa facilita a triagem de currículos e consegue identificar os candidatos que possuem os traços comportamentais buscados pela empresa, entre outras funções, por exemplo.

Dessa forma, as contratações passam a ser mais assertivas e ainda é possível aumentar a diversidade dentro da empresa. Por isso, o analista de R&S precisa saber como utilizar esse tipo de programa.

Redes sociais

As redes sociais também sido utilizadas como importantes ferramentas de seleção de candidatos. Isso porque muitos profissionais disponibilizam seu portfólio e divulgam seu trabalho nessas plataformas. 

Além disso, o analista também pode conhecer traços comportamentais, éticos e posicionamentos dessas pessoas, o que também ajuda na seleção do candidato ideal. 

Embora Facebook e Instagram também possam ser utilizados para essa finalidade, é o LinkedIn que se destaca como principal ferramenta de recrutamento. Por isso, é importante que o analista saiba como encontrar candidatos nessas plataformas.

Quanto ganha em média um analista de recrutamento e seleção?

O salário médio de um analista de recrutamento e seleção é de aproximadamente R$ 2.684,00 por mês, de acordo com o site de vagas Indeed

No entanto, esse valor pode variar de acordo com o nível do analista de R&S. Se ele for júnior, esse salário realmente fica na faixa de R$ 2.000,00 a R$ 3.000,00 mensais. Já profissionais sêniores que atuam em grandes empresas podem receber mais de R$ 6.000,00 por mês.

Conclusão

O analista de recrutamento e seleção é um profissional essencial para a empresa que deseja otimizar suas contratações e montar uma equipe de alto desempenho. 

Como você viu ao longo do texto, junto com os demais colaboradores do RH ou do Departamento de Recrutamento, ele utilizará técnicas e estratégias para atrair os perfis estratégicos para a empresa.

No entanto, para executar essas funções, o analista precisa investir na sua formação, desenvolver soft skills e construir sua carreira e experiência aos poucos. Assim, tanto empresa quanto o próprio recrutador podem crescer juntos.

Gostou do conteúdo? Acompanhe as novidades sobre gestão de pessoas e Recursos Humanos no Blog da Pontotel!

Artigo Original por Ponto Tel

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.