Aplicação de Business Intelligence na atividade contábil: entenda como funciona!

0
865

A inteligência de negócios (Business Intelligence ou BI) é um conceito cada vez mais presente no mundo empresarial. Está intimamente ligado a ideia de Big Data, notadamente pela possibilidade de analisar conteúdos de grandes bases de dados. Ele é aplicável na maior parte das atividades de negócios, inclusive na contabilidade e na área fiscal, embora ainda não seja tão frequente em algumas organizações de médio e pequeno porte. O uso de Business Intelligence na atividade contábil pode melhorar muito a visão e a compreensão efetiva do seu negócio.

Mas primeiramente cabe alguma explicação: business intelligence é o uso de informações de múltiplas áreas para a tomada de decisões. A área contábil é uma das que mais produz e acumula informações nos mais diversos tipos de negócios e organizações. Enormes quantidades de dados e registros das áreas  fiscal, financeira, vendas, pessoal, patrimonial etc, convergem e ficam armazenados na contabilidade. Por outro lado, a partir desses dados podemos obter relatórios que  nos mostram um retrato nítido da rentabilidade e desempenho da empresa.

Ao unir os conceitos e aplicar ferramentas de business intelligence na base de dados da contabilidade, você potencializará o poder de análise e geração de informações para a tomada de decisões, obtendo ainda insights muito melhores sobre os seus negócios.

[rev_slider alias=”ads”][/rev_slider]

 

Parra aprofundar um pouco mais esse tema, vamos mostrar como funciona a aplicação de Business Intelligence na atividade contábil. Confira!

1. Uso de softwares adequados

A quantidade de dados que circula em uma empresa e no mercado é simplesmente grande demais para qualquer pessoa acompanhar. Você pode tentar, mas sua margem de erro ainda será bem grande. Por isso, o melhor é recorrer a um software de gestão.

Com essa ferramenta é possível registrar e organizar automaticamente a grande quantidade de dados gerados diariamente. Eles ainda poderão servir para objetivos fiscais, mas também vão estar disponíveis para seu uso em Business Intelligence.

2. Integração com outras áreas

A inteligência de negócios não depende de apenas uma área para ser aplicada. É necessário inserir uma série de dados para que eles possam ser utilizados por outros setores. Devido a esse fator, é importante ter ferramentas de integração das diferentes áreas da empresa.

Sem essa comunicação direta de informações não é possível aplicar Business Intelligence na atividade contábil. É a partir dessas trocas que cada profissional se torna capaz de incrementar o próprio desempenho e reduzir os custos de suas atividades ao longo do tempo.

3. Correlação de dados financeiros e de serviço

Dando um passo adiante, já com as áreas integradas e as informações registradas em tempo real, é hora de promover a verdadeira inteligência de negócio: analisar os dados e entender quais são as correlações. Afinal, o que você precisa descobrir de verdade é: quais atitudes estão gerando mais reflexo no seu faturamento?

Com o auxílio das ferramentas citadas e a possibilidade de avaliar todas as atividades da empresa sob a mesma lente você estará na posição certa para encontrar essas correlações. Lembre-se apenas de testá-las, pois correlação não indica necessariamente causa.

4. Tomada de decisão utilizando dados financeiros

Por fim, você pode usar os dados financeiros do negócio, tão importantes para sua manutenção, para tomar decisões empresariais que de fato melhorem o faturamento. Se você fez os testes que mencionamos acima, terá uma noção minimamente precisa de como gerar essa mudança e em qual grau. Não basta prever se o resultado será positivo ou negativo, é necessário saber o quão positivo ou negativo ele será.

José Carlos Fortes – Fortes Tecnologia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here