Você sabia que mesmo depois da reforma da previdência você ainda consegue aposentar por tempo de contribuição?

Vou te mostrar que sim!

Muitos dizem que a reforma da previdência acabou com a aposentadoria por tempo de contribuição, mas isso é somente verdade para aqueles que começaram a contribuir após a reforma trabalhista.

Quem começou a contribuir antes de 12 de novembro de 2019 ainda sim poderá aposentar por tempo de contribuição.

A primeira possibilidade de aposentadoria por tempo de contribuição e fazendo a soma de todas as contribuições no INSS até o dia 12 de novembro de 2019.

Para isso, é necessário verificar junto ao INSS todas as contribuições feitas antes da reforma previdenciária até o dia 12 de novembro de 2019.

Até aqui não interessa a sua idade, sendo o importante a contribuição por 30 anos para mulher e 35 para homens.

Se foi atingido esses anos, então você tem o direito adquirido e poder pedir a aposentadoria por tempo de contribuição, não sendo necessário passar por pedágio ou regra de transição.

Para verificar o quanto contribuiu até dia 12 de novembro de 2019, deve entrar diretamente no site do meu INSS ou baixar o aplicativo diretamente no seu celular.

Verificando que já tem o tempo de contribuição, você pode pedir a sua aposentaria que ela será concedida de imediato sem ser atingido pela reforma da previdência.

Outra opção de se aposentar sem pagar pedágio ou regra de transição mesmo após a reforma da previdência é resgatar tempo de contribuição que não esteja declarada no CNIS (cadastro Nacional de Informações sociais).

E neste cadastro que fica registrado todas as contribuições realizadas e a origem delas, se foi em empresa ou pagamento de autônomo e até período de auxilio doença.

Então, se perceber que no CNIS esta faltando alguma destas informações, deve pedir para averbar o tempo de contribuição que não esteja descrito no CNIS diretamente no INSS.

O tempo trabalhado em condições insalubres ou perigosos também ajudam a contar o tempo, o que pode muitas vezes de acontecer é que esse tempo não esteja registrado no CNIS.

Exemplo, quando trabalha recebendo algum adicional durante 10 anos esse período será transformado em 14 anos, tempo esse que lhe ajudara a computar maior tempo de contribuição.

Outra opção é a aposentadoria por tempo de contribuição, mas sofrendo com a reforma da providencia.

Esta opção é para quem estava perto para a aposentadoria, existe a regra de transição do período de 50% e 100% dependendo do caso.

Para quem falta até 2 anos, a regra de transição é de 50%.

Para quem faltava mais de 2 anos, a regra de transição é de 100%.

Então, aqui foi mostrado a aposentadoria por tempo de contribuição antes e depois da reforma previdenciária.

Na dúvida, consulte um advogado para lhe ajudar.

Dica extra: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social.

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana?

Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática: Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS


Conteúdo original Ezequiel Tavares Advogado Trabalhista com foco no Trabalhador