Aposentados e pensionistas são vítimas de golpes; veja como evitar

0

Os aposentados e pensionistas são as maiores vítimas de golpes, principalmente por telefone. A maioria das vezes, os golpistas se passam por representantes do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A pandemia ajudou bastante os golpistas a enganar os idosos.

Designed by Rawpixel.com / shutterstock
Designed by Rawpixel.com / shutterstock

Eles entram em contato com os segurados dizendo serem representantes do INSS ou ainda que são funcionários do banco ao qual é pago o benefício. Os vigaristas têm uma ótima conversa que pode convencer qualquer um. Por isso, fique atento para não cair em golpes. Vamos dar a você algumas dicas para não ser enganado.

A primeira coisa que o aposentado precisa fazer é nunca:

compartilhar dados pessoais, como senhas e registros;
pagar para ter acesso a direitos garantidos pelo INSS ou previdência privada;
dar acesso a um funcionário falso às plataformas digitais, etc.

Quando você compartilha informações, permite que o golpista tenha acesso aos seus dados pessoais. Muitas pessoas não se atentam, que são raras às vezes que as empresas solicitarão dados importantes ao consumidor. Mas, quando alguém, por telefone, pedir número de CPF ou outro tipo de documento, não forneça e, procure entrar em contato com o canal oficial.

Quais são os principais golpes?

Os golpistas gostam sempre interpelar idosos, se passando por alguém do INSS ou linhas de crédito para aposentados. Fique atento, quando forem oferecidos serviços de revisão de benefícios, antecipação de atrasados ou a tentativa de coleta de dados da vítima, é preciso não fornecer os dados, desligando o telefone e entrando em contato com o Instituto pela central 135, a Ouvidoria do INSS.

Afinal, trata-se de tentativa de golpe em aposentados e pensionistas. Além disso, é importante conferir e evitar outras fraudes frequentes.

Estelionato

O golpista induz o aposentado, a fazer algo para seu benefício ou de terceiros. São várias as promessas como, retornos melhores do “investimento” feito até altíssimos lucros. Após conseguir o que quer, o criminoso desaparece, e a vítima precisa lidar com as perdas. Esse crime é regido pelo Código Penal e é bastante grave.

Empréstimos consignados

O aposentado e pensionista tem direito de escolher entre venda de precatórios ou empréstimo consignado. No entanto, o golpe mais comum é o da abordagem de coação. São proibidas as práticas que buscam convencer o idoso em relação aos empréstimos consignados antes do decurso de 180 dias da respectiva coleta do benefício.

Ao receber uma ligação telefônica antes mesmo do recebimento dos seus benefícios do INSS, fique atento, para saber quem está ligando, se não é golpe. Principalmente se for solicitado dados sigilosos da vítima durante o contato.

Com a informação, o criminoso se torna capaz de assinar documentos, solicitar empréstimos com juros altos e comprometer o futuro financeiro do aposentado.

Como evitar o golpe em aposentados e pensionistas?

A dica que vamos dar a você é sempre em momento algum, assinar contratos em branco. Com promessas que exigem assinatura sem você ter direito a ler as cláusulas do contrato compõem prováveis golpes. Não assine! Mesmo que a oferta seja convincente.

Após conhecer as principais fraudes, é hora de se proteger, de fato. Saiba o que fazer para evitar que elas prejudiquem a organização do orçamento.

Não forneça dados pessoais para desconhecidos.
Não fornecer dados pessoais para desconhecidos. Qualquer funcionário de instituição financeira que entrar em contato em busca de dados, deve fazê-lo através de canais oficiais. Ele deverá se identificar adequadamente.

Desconfie sempre de e-mails, mensagens de texto e ligações que pedem informações pessoais.É sempre recomendado, para você não cair em golpes, pedir que o atendente dê as primeiras letras ou números do que é solicitado, para que você apenas confirme o restante.

Se você ficar desconfiado, desligue o telefone, e entre em contato com algum canal oficial, seja de banco, INSS, financeiras, para saber se a ligação era realmente vinda destes canais de atendimento.

Isso vai impedir que indivíduos maliciosos vejam informações sigilosas sobre sua conta em uma agência, por exemplo, ou poderem trocar seu cartão sem que você perceba. Prefira ligações aos e-mails e peça sempre que o atendente se identifique. Mas, mesmo assim, solicitações onde seja preciso fornecer dados, é bom que você ligue para o banco ou instituição financeira, ou o próprio INSS, para solicitar algum serviço.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil