Aprenda a como gerar um boleto bancário

0

Antes de saber como um boleto bancário pode ser gerado, é importante compreender o seu significado, o qual dispõe sobre um título de cobrança emitido por bancos e que se consolidou como um dos principais formatos de pagamento do Brasil. 

A emissão de boletos pode ser feita tanto por pessoas físicas quanto jurídicas, desde que possuam uma conta bancária e contratem uma carteira de cobranças junto à respectiva instituição financeira habilitada à atividade.

É possível observar a popularidade deste formato de pagamento por vários aspectos, como a simplicidade e flexibilidade para os clientes e empresas, isso porque, se trata de um processo bastante prático e simples, pois, basta que o empreendedor emita um boleto bancário de cobrança o qual virá com um código de barras e um código numérico logo acima, bem como, o valor do documento e a data de vencimento que deve ser respeitada. 

Em seguida, o cliente pode receber o boleto tanto em papel quanto por um arquivo digital em formato PDF, possibilitando, em ambos os casos que o pagamento seja efetuado pelo Internet Banking, em agências bancárias, caixas eletrônicos ou em casas lotéricas. 

Também há a possibilidade de emitir tanto o boleto avulso quanto em formato de carnê, os quais devem ser compostos por campos específicos que possam assegurar que o valor pago seja disponibilizado ao destinatário. 

No entanto, embora seja um documento bem estruturado, ele ainda costuma gerar algumas dúvidas a cerca o preenchimento dos dados. 

Funcionamento do boleto bancário 

Para que a pessoa física ou jurídica consiga gerar um boleto bancário, primeiramente é preciso abrir uma conta e realizar um cadastro em uma instituição financeira apta a promover este tipo de serviço, pois, antigamente, apenas os grandes e renomados nomes ofereciam carteiras de cobrança, modalidade que hoje, está disponível para bancos digitais, fintechs, entre outros meios. 

O processo de emissão também é bastante simples, uma vez que, atualmente existem uma série de ferramentas e sistemas que simplificam e organizam os dados rapidamente e de maneira 100% segura, no intuito de agilizar o trabalho do empreendedor. 

Para isso, basta que a pessoa física ou jurídica responsável pela cobrança (cedente) identifique o cliente (sacado) e defina um prazo para que o pagamento seja efetuado, ou seja, uma data de vencimento do documento. 

Designed by @diana.grytsku / Freepik

No que se refere ao pagamento do documento, este pode ser feito de diversas maneiras, cabendo ao consumidor optar por aquela que lhe for mais conveniente. 

Na situação dos clientes com contas bancárias, há múltiplos canais de atendimento como, boca do caixa nas agências, terminais de autoatendimento, Internet Banking, atendimento telefônico e aplicativos para smartphone. 

Vale ressaltar que, casas lotéricas, agências dos Correios com Banco Postal e correspondentes bancários no geral, também estão aptos a receber pagamentos, assegurando o acesso àquelas pessoas que não possuem uma conta bancária. 

Depois que a quantia é quitada, ela é debitada em um prazo fixado pela instituição financeira, que normalmente pode variar entre um a três dias úteis. 

Sendo assim, a empresa que emitiu o boleto tem o controle sobre quais documentos estão pendentes e quais já foram pagos, facilitando a organização dos procedimentos de revisão que afetam diretamente na liberação das mercadorias, por exemplo. 

Boleto bancário e os desbancarizados 

Diante da praticidade do boleto bancário, ele se tornou um dos meios de pagamento mais acessíveis do Brasil, especialmente para a parcela da população desbancarizada, aqueles que não possuem conta corrente ou acesso aos serviços financeiros. 

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva, publicada no ano de 2019 pela Época Negócios, o país possui cerca de 45 milhões de desbancarizados, destes, 29% têm idade superior a 16 anos, responsáveis por movimentar mais de R$ 817 bilhões que não integrantes à rede bancária brasileira. 

Para essas pessoas, o boleto bancário é a melhor forma de pagamento, uma vez que evita a necessidade e carregar dinheiro vivo, além de poder ser pago em qualquer casa lotérica, caixa de supermercado ou agência dos Correios no caminho. 

Vale mencionar que, a desbancarização não é uma característica exclusiva das pessoas físicas, pois, muitas empresas também estão na mesma situação, o que se caracteriza como mais uma razão atribuída à popularidade do boleto bancário. 

Conforme uma pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a qual foi publicada em 2015, 30% das pequenas empresas do país não possuem conta bancária ou algum vínculo com os bancos comerciais.

Neste cenário, há a possibilidade de emitir os boletos via plataformas intermediadoras, sem a necessidade de ter uma conta em banco. 

Por Laura Alvarenga