A Receita Federal liberou ontem (22/02) as principais regras e novidades para a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2017. Hoje, está previsto a liberação do Programa gerador do Imposto de renda 2017. A recepção das declarações vai do dia 02 de março até o dia 28 de abril.

Agora em 2017, vai precisar declarar quem recebeu durante o ano passado rendimentos tributáveis cuja soma seja superior a R$ 28.559,70. Rendimentos tributáveis são aqueles recebidos com o trabalho assalariado, o trabalho autônomo, atividade rural, recebimentos de aluguéis e os provenientes de pensões e aposentadoria.

Dentre as maiores novidades no programa, destacam-se a necessidade do CPF para maiores de 12 anos (já comentada por nós na matéria Novidades no CPF e como isso afeta seu Imposto de Renda.) e a incorporação do aplicativo ReceitaNet , que a partir deste ano não precisará mais ser instalado em separado para o envio de declarações para a base da Receita Federal.

Vale a pena lembrar: quem entrega a declaração de forma correta mais cedo também recebe mais cedo a sua restituição caso seja devida. As chances de encontrar sua restituição já no primeiro lote em junho aumentam conforme mais antecipada for a entrega.

E a multa para quem entregar a declaração em atraso ainda continua a mesma: valor mínimo de R$ 165,74 (cento e sessenta e cinco reais e setenta e quatro centavos) e valor máximo correspondente a 20% (vinte por cento) do Imposto sobre a Renda devido.

Assim como nos anos anteriores as empresas, instituições financeiras e planos de saúde tem até o último dia de fevereiro para realizar a entrega dos Informes de Rendimentos ao contribuinte. Mas atenção: agora em 2017 muitos bancos e a própria Previdência Social deixarão de enviar pelo correio esses documentos. Aconselhamos a todos não aguardarem pelo envio destas informações, uma vez que estas agora serão em sua grande maioria disponibilizadas através da internet ou nas próprias agências.

Por último, é importante atentar-se que além dos rendimentos tributáveis, existem outros meios que obrigam a entregam da declaração do IRPF. Segundo a Instrução Normativa, está obrigado a declarar o IRPF 2017, quem durante o ano de 2016:

 

  1. Recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70 (vinte e oito mil, quinhentos e cinquenta e nove reais e setenta centavos);
  2. Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais); 
  3. Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  4.  Relativamente à atividade rural:
  5. Obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 (cento e quarenta e dois mil, setecentos e noventa e oito reais e cinquenta centavos);
  6. Pretenda compensar, no ano-calendário de 2016 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio anocalendário de 2016;
  7.  Teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais);
  8.  Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro; 
  9.  Optou pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contado da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005.

 

Via ADC TEC

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.