Atualizar boleto: entenda em quais situações é necessário e como fazer

A necessidade de atualizar boleto pode aparecer em situações diversas.

O problema é não saber como fazer.

Isso gera transtornos tanto para quem cobra como para quem paga.

Ou seja, para o empreendedor e o consumidor.

Não importa de qual lado esteja, é preciso conhecer as regras do boleto atualizado para usar o melhor dessa forma de pagamento, que é clássica.

Como veremos neste artigo, o boleto bancário é um dos preferidos do brasileiro.

É fácil de gerar e de pagar, o que ajuda a explicar tal apreço da população.

E na hora de atualizar boleto, será que é tão simples também?

Pode ser, com toda certeza.

Além de simples, é possível fazer isso sem ônus algum.

A importância da atualização de boletos

A adoção do boleto bancário como meio de pagamento é uma das modalidades de cobrança mais utilizadas por empreendedores de todos os portes.

A emissão de boletos é a segunda forma de pagamento preferida no e-commerce, o popular comércio eletrônico.

Só perde para o cartão de crédito.

E não chega a surpreender, é claro.

A internet, a digitalização dos processos de pagamento e a expansão das empresas de emissão de boletos baratearam o serviço e o tornaram mais ágil.

Estamos em uma nova era, mas com velhos problemas.

Como todo meio de pagamento, a emissão de boletos enfrenta o fantasma da inadimplência.

Há casos em que o cliente deixa de pagar por esquecimento.

Ou por falta de planejamento financeiro.

Em muitos outros, não há dinheiro e ele teve que priorizar o que atrasar e o que pagar.

Não está fácil para ninguém, não é mesmo?

E existem casos em que foi necessário atualizar o boleto por outros motivos, como erro no preenchimento, mudança de prazo ou no valor da transação.

Seja como for, a atualização de boleto é uma das opções mais importantes dessa prestação de serviço.

E falo isso por três razões:

  1. Oferece uma nova oportunidade de pagamento para aquele cliente que não conseguiu quitar o produto ou serviço no prazo estipulado.
  2. Compensa o vendedor com o acréscimo de multas e juros.
  3. Ajuda a combater a inadimplência, com sua flexibilidade.

Infelizmente, há sempre aquele mau pagador.

Para esses casos, é preciso utilizar outros mecanismos de negociação para receber o seu dinheiro.

É seu direito reaver o recurso pelo produto que vendeu ou serviço que prestou.

Mas como?

É o que vamos ver a partir de agora.

Atualizar boleto: em quais situações você deve fazer isso para receber dos clientes?

Isso mesmo!

Deixar de pagar o boleto na data certa não é exatamente um fato raro no mercado.Isso mesmo!

Acontece nas transações entre pessoas físicas e jurídicas e entre empresas também – mais do que você imagina, inclusive.

É por isso que a possibilidade de atualizar o boleto é tão disseminada no mercado.

Os principais bancos do país, por exemplo, oferecem um sistema online.

É para quem está atrasado com seus compromissos de pagamento “correr atrás do prejuízo”.

Isso é possível por causa das informações disponíveis no próprio boleto.

No documento, é possível identificar os valores de desconto, em caso de pagamento adiantado.

Ou de juros e mora, em caso de atraso.

Sabe aquela linha cheia de números que até assusta na hora de digitar no caixa automático?

Pois é, ela traz informações relevantes sobre o boleto.

A linha é composta por 5 grupos.

No grupo 1, está o código do banco.

No grupo 5, composto por 14 números, aparecem duas informações importantes codificadas: a data do vencimento e o valor original do boleto.

Quando o sistema calcula os acréscimos e a nova data de pagamento para atualizar boleto, os números do grupo 5 e do grupo 4 mudam, deixando o documento válido para pagamento sem a necessidade de o cliente ir ao banco.

Veja nos links abaixo como funcionam os sistemas dos principais bancos do país.

O seu não está na lista?

Não se preocupe, pois o procedimento não varia quase nada e é realizado sempre de forma online.

Atualizar boleto é um instrumento do qual o empreendedor não pode prescindir.

E, em muitos casos, você vai adotar este procedimento para ganhar mais dinheiro.

Como?

Vou explicar.

Exemplo de atualização de boleto

Imagine que você fornece produtos para uma empresa, que adquiriu um lote para pagar em três parcelas, com vencimento para 30, 60 e 90 dias.

Mas, próximo à data do vencimento da primeira parcela, o cliente o procura para adquirir mais um lote do produto.

Para não comprometer o cronograma de entrega e o fluxo de pagamento, seu cliente pede que você inclua os novos valores nas parcelas já acordadas, diluindo o valor adicional.

O que você deve fazer?

Muito simples.

Atualizar o boleto e reenviá-lo.

Você não vai perder uma venda por causa disso, vai?

Parece fácil, não? Precisa mesmo de um sistema?

Tudo depende da matemática.

Se o seu cliente atrasar o pagamento de um boleto de R$ 500,00 por sete dias, com multa de R$ 5,00 e juros de R$ 1,00 por dia, você irá atualizar o boleto em R$ 12,00.

Mas e se a multa sobre este valor for de 2,75% + R$ 0,87 (1,2% AM) ao dia, dá pra calcular de cabeça?

Aí complica, não é?

Além dos bancos, vários sites oferecem serviços que incluem atualizar boleto.

Se você quer fazer uma simulação em algum deles, tudo bem.

Mas é bom tomar cuidado aonde você entra.

Tem muita gente dando golpe, através de sistemas que desviam seus pagamentos.

Infelizmente, o clássico boleto não escapou.

Tanto é assim que ganha em 2018 uma versão nova, com foco na prevenção de fraudes virtuais.

Só que ela também é mais cara.

Vou explicar no próximo tópico.

Atualizar boleto pode custar mais ca

Essa é uma questão importante para você, microempreendedor individual (MEI) ou pequeno empresário que trabalha ou quer passar a trabalhar com o uso de boleto no seu negócio.

A Federação Nacional dos Bancos (Febraban) implementou novas regras para a emissão de boletos que estimula o uso do boleto registrado.

Só que é mais caro.

Em alguns casos, bem mais caro.

Isso se explica pela maior quantidade de taxas que podem ser cobradas.

Veja só quais são elas:

  • Registro: cobrada no momento em que o boleto é emitido e dá entrada no sistema do banco. Mesmo que o boleto não venha a ser pago a cobrança será debitada.
  • Custódia: o banco pode cobrar uma tarifa adicional pela presença do boleto aberto no sistema.
  • Pedido de alteração de dados: o banco pode cobrar mais uma tarifa caso você precise atualizar boleto ou modificar algum dado do documento.
  • Liquidação: o banco dá mais uma mordidinha no seu dinheiro quando o boleto é liquidado.

Perceba que há uma taxa exclusiva para atualizar boleto.

Então, se for preciso rever os valores da negociação, seja por qual razão for, deverá pagar uma tarifa por pedido de alteração de dados.

Para quem não tem um orçamento muito grande e estava acostumado a pagar apenas pelo boleto compensado, fica ruim, bem ruim.

Mas isso se considerarmos o boleto registrado.

Já o boleto simples não vai acabar.

No entanto, vai sofrer mudanças um tanto quanto profundas.

Pelo novo sistema, os boletos sem registro só poderão ser pagos na própria agência da instituição que emitiu o boleto.

De fato, isso diminui muito as vantagens dessa modalidade porque dificulta o pagamento pelo consumidor.

A partir de março deste ano, se inicia a migração dos boletos de valores considerados pequenos.

Veja como está o cronograma atual, segundo divulga a Febrabran:

  • A partir de 24/03/18 – R$ 800,00 ou mais
  • A partir de 26/05/18 – R$ 400,00 ou mais
  • A partir de 21/07/18 – R$ 0,01 ou mais
  • Em 22/09/18 – conclusão do processo de integração de todos os boletos, incluindo os oriundos de cartão de crédito e de doações, entre outros.

Contagem regressiva, ou não.

Depende da solução que utiliza para gerar e atualizar boleto.

É possível atualizar boleto sem custos adicionais?

Sim, se você quer atualizar boleto sem pagar por isso, ainda pode.

É possível fugir da “pegadinha” da Febraban e atualizar boleto simples, aquele no qual só vai incidir uma taxa quando for compensado.

A própria entidade admite que a “cobrança não registrada poderá ser mantida, desde que seja acordada entre a empresa beneficiária e o banco emissor do boleto”.

Com uma ressalva: o pagamento só poderá ser realizado, mesmo antes do vencimento, no banco que emitiu o boleto.

Assim, a única obrigatoriedade para quem opta pela emissão de boleto simples será que os clientes efetuem o pagamento na própria instituição em que foi emitido.

Por exemplo, se o documento foi emitido pelo Bradesco, só o Bradesco o aceita.

Se foi emitido pelo Santander, é no Santander que deve ser pago.

E assim por diante.

Portanto, você, empreendedor, ainda continuará com esse benefício à disposição de sua empresa.

Seu trabalho a partir de agora, para manter a economia, será o de conscientização e convencimento do consumidor.

Mas não é difícil ter sucesso nisso.

Afinal, ninguém deseja pagar mais caro porque uma empresa teve que anexar ao valor de um produto ou serviço novos custos que surgiram.

E sim, é inegável que o boleto registrado é mais dispendioso.

Tem vantagens claras, mas pesa no bolso já sofrido do pequeno empreendedorbrasileiro.

O que acontece se você não atualizar boleto e seu cliente pagar o documento?

Para atualizar um boleto vencido é simples: em poucos cliques você acessa sua conta.MOBI emite um novo documento e só paga pela compensação.

Como acabamos de explicar, se o boleto for simples e não for quitado até a data de vencimento do documento, só poderá ser pago no banco que o emitiu.

Aliás, essa condição vale inclusive para a quitação dentro do prazo.

Não há outra forma de pagar boleto simples se não for junto ao banco que o emitiu.

E para atualizar boleto nesses casos, como fazer?

Ele precisará ser atualizado pelo emissor, seja ele uma instituição bancária ou uma plataforma de soluções digitais de negócio, como a conta.MOBI.

Agora, se o valor mudou depois da emissão do boleto, não houve atualização até a data do pagamento e o cliente quitou o documento, você terá que cobrar o valor adicional em um novo boleto.

Quer um exemplo?

Você orçou um serviço, cobrou o cliente, mas no final teve um imprevisto que acabou elevando o custo da prestação.

Precisa conversar com seu cliente para verificar se o documento já foi pago.

Caso não tenha sido, como é um boleto simples, é só desconsiderar.

Se já foi, aí precisa gerar um novo apenas com o valor adicional.

Só que, nessa situação, são duas taxas devidas, já que estamos falando de dois documentos de cobrança diferentes.

Para lidar melhor com a gestão de boletos na sua empresa, confira com atenção as dicas que preparei a seguir.

8 dicas para lidar com boleto vencido ou desatualizado

Uma boa forma de controlar os boletos a vencer e evitar a perda de tempo e dinheiro atualizando o documento é fazendo a gestão das contas a receber.

O boleto que você enviou ao cliente não foi pago?

Há quanto tempo?

Como cobrá-lo?

A inadimplência é um problema.

E nem sempre atualizar boleto e reenviá-lo ao devedor será o suficiente para você receber o valor devido.

Acontece e foge do seu controle, muitas vezes.

Mas no controle da inadimplência dá para agir na prevenção e na correção.

É preciso criar e colocar em prática estratégias de cobrança e negociação.

Através delas, será possível recuperar todo ou ao menos parte dos valores que deixaram de entrar no caixa da empresa.

Lembrando que produto vendido e serviço prestado devem ser pagos, sem exceção.

Veja agora oito dicas para lidar com boleto vencido ou desatualizado e proteger seu negócio da inadimplência.

1. Formalize-se

Você ainda não se formalizou?

Transformar-se em um empreendedor com CNPJ dá mais segurança na hora das transações comerciais.

E também para cobrar eventuais dívidas dos clientes.

Quer uma vantagem?

Só empresas que possuem CNPJ e emitem notas fiscais podem acionar a Serasa para realizar cobranças e incluir inadimplentes no banco de dados.

É claro que essa é uma atitude que não deve ser tomada de modo intempestivo.

Porém, deve ter sempre essa carta na manga.

2. Emita nota fiscal

A emissão do boleto pelo cliente já implica, em muitos casos, em assumir uma dívida que pode ser cobrada no futuro.

Mas nada substitui a presença da nota fiscal na transação.

A nota fiscal é mais uma forma de assegurar recebimentos posteriores, além de evitar que seu negócio cometa sonegação fiscal.

Se você for MEI prestador de serviços, é obrigado a emitir nota fiscal quando contratado por outra pessoa jurídica.

Nos demais casos, não existe a exigência, mas a oportunidade.

É sempre vantajoso para o microempreendedor emitir nota.

3. Faça um contrato

Como diz o ditado, o combinado não sai caro.

Sempre que possível, estabeleça um contrato para suas transações comerciais.

É o documento legal que contemplará as formas de pagamento definidas, condições de entrega e deveres e obrigações de ambas as partes.

Mesmo empresas de pequeno porte, de serviços a indústrias, podem e devem se valer desse tipo de instrumento.

É uma proteção adicional.

4. Alerte o cliente sobre o vencimento da fatura do seu boleto

Tenha controle sobre o vencimento dos seus boletos e avise seus clientes.

Um bom modo de prevenir a inadimplência é enviar e-mail e SMS para os clientes em momentos diferentes, como, por exemplo:

  • Cinco dias antes do vencimento da fatura
  • No dia do vencimento
  • Cinco dias depois do vencimento
  • 10 dias depois do vencimento
  • 15 dias depois do vencimento.

Sempre haverá aquele que não pagou por esquecimento e não teve má-fé.

Esse ficará agradecido pela lembrança, satisfeito com o atendimento e, quem sabe, fidelizado.

5. Tome logo as medidas necessárias para se proteger

O empreendedor sabe o quanto é difícil tomar medidas mais drásticas em caso de inadimplência.

Isso significa um rompimento e o fim de uma relação comercial que foi construída a duras penas.

Infelizmente, pode ser necessário.

A inadimplência é coisa muito séria e pode causar danos irreversíveis para o seu negócio.

A realidade é que, nesses casos, quanto mais se demora a cobrar, menor é o percentual de recuperação do ativo perdido.

De acordo com pesquisa da Serasa Experian, entre 45 a 90 dias de atraso, o seu percentual de recuperação já é avaliado em torno de 60%.

Não perca a hora de cobrar.

A contagem regressiva já está valendo nesse caso.

6. Identifique perfis da sua clientela

Para evitar chegar a situações extremas, monitore os seus clientes.

Entenda as necessidades de cada um e o que pode influenciá-los na tomada de decisão.

Trace um perfil de acordo com a gravidade da situação de cada caso e monte estratégias de negociação.

Atue com inteligência e não com imposição.

Até nessa hora dá para se posicionar como um parceiro do cliente.

7. Implante uma política de cobrança

Mesmo que a sua empresa seja pequena ou individual, é possível organizar uma política de cobrança para reaver ativos e minimizar a inadimplência existente.

O plano deve ser dividido em etapas.

Cada etapa deve ter um prazo para atendimento da medida solicitada.

Caso a medida não surta efeito, passe para a próxima etapa.

Quer um exemplo?

  • Etapa 1: faça contato telefônico.

Peça que o devedor lhe enviar por e-mail ou WhatsApp solicitação de novo prazo de pagamento, indicando o motivo do atraso.

Atualizar boleto e enviar com novo vencimento e valores é uma opção.

A formalização do acordo é obrigatória.

  • Etapa 2: envie uma carta registrada.

Faça isso com prazo de sete dias úteis para quitação da pendência.

  • Etapa 3: cadastre o inadimplente no Serasa.
  • Etapa 4: ofereça acordo válido para sete dias

Atualizar boleto novamente e enviá-lo é interessante.

  • Etapa 5: proteste as dívidas no cartório.

Não esqueça de comunicar ao devedor sobre essa providência.

  • Etapa 6: use a via judicial.

Ações judiciais apropriadas nesse caso são pedido de falência, execução, penhora, entre outras.

8. Faça um acordo

Na impossibilidade de receber o dinheiro envolvido na transação comercial, uma alternativa é fechar um acordo.

Pode ser tanto extrajudicial como diante de um juiz ou árbitro mediador.

Assim, sua empresa pode recuperar pelo menos parte do produto entregue, ou uma quantia em dinheiro a título de adiantamento do pagamento.

É necessário atualizar boleto da conta.MOBI?

Imagem 7 - Atualizar boleto entenda em quais situações é necessário e como fazer
Com a conta.MOBI, a gestão dos boletos a vencer é rápido, fácil e super econômico!

Se você usa a conta.MOBI como ferramenta para emissão de boletos, será que precisa fazer a atualização?

Tudo depende da situação.

Se o boleto estiver atrasado e o cliente for pagá-lo no banco emissor, a própria instituição vai calcular as taxas adicionais, como juros e multa.

Caso contrário, o cliente não poderá pagar o boleto pela internet ou celular.

Nesse caso, você ter que atualizar boleto e enviá-lo novamente.

O cliente pode fazer essa solicitação.

No entanto, a própria conta.MOBI vai alertá-lo sobre a não compensação do documento e sugerir que você faça a remissão.

Resumindo: como estamos falando de um boleto simples, será preciso atualizar se houve mudança nos valores e o documento ainda não foi pago.

Passo a passo para atualizar boleto conta.MOBI

A conta.MOBI é uma conta digital de pagamento e recebimento com a solução perfeita para a emissão de boletos de maneira segura e econômica.

No plano Profissional, o custo é de apenas R$ 2,49 por boleto compensado.

Veja agora os passos para emitir ou atualizar boleto pelo sistema da conta.MOBI.

Você pode fazer tanto pelo celular quanto pelo computador.

  1. Acesse sua conta.MOBI pela internet ou aplicativo
  2. Clique na opção Emitir Boleto
  3. Em seguida, preencha todos os dados solicitados
  4. Atenção aos novos prazos e valores
  5. Agora é só clicar em Emitir boleto
  6. Pronto! Seu boleto foi atualizado com sucesso!

O link do boleto pode ser enviado por SMS ou e-mail e também há a opção para imprimir o documento e entregar em mãos ao cliente.

Conclusão

O ideal é que você alerte seu cliente sobre a proximidade do vencimento do boleto, mas se não for possível, conte com a conta.MOBI para receber fácil e lucrar mais!

No artigo de hoje, aprendemos a importância de atualizar boleto para que o empreendedor possa receber pelo seu trabalho.

Nunca é demais lembrar que a relação entre quem vende e quem compra precisa ser pautada pelo respeito.

Assim como é direito do cliente receber o serviço contratado ou o produto adquirido, ele possui o dever de honrar seus pagamentos por isso.

Se não o faz no prazo, multas e juros são esperados.

Mas tudo depende da negociação.

Quando há transparência, o empreendedor pode dar um novo prazo sem mexer valores.

Assim, ele atualiza boleto apenas no que diz respeito à data de pagamento.

Seja como for, quando usa o boleto simples, a solução se torna mais fácil – e mais barata.

É mais uma vantagem que a conta.MOBI oferece para você.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.