É cada vez mais necessário a adoção de medidas preventivas nas empresas. O objetivo dessa prática é fomentar uma atuação organizacional responsável, além de adequar-se às normas de saúde, segurança e higiene do trabalho.

Essas medidas também ajudam na diminuição do passivo trabalhista, e até mesmo, a eliminar as adversidades mais constantes no ambiente de trabalho.

Assim como os planejamentos empresarial, societário e tributário, o planejamento trabalhista é primordial para o auxílio na gestão empresarial estratégica.

Inicialmente, dentro desse planejamento, é importante realizar a Auditoria Trabalhista, onde, de modo personalizado e de acordo com a realidade de cada empresa, ocorrem as seguintes etapas: 

  • Detecção dos riscos jurídicos, por meio de análise documental e do ambiente de trabalho;
  • Verificação das normas legais aplicáveis àquela empresa, tais como: legislação geral e específica, convenções coletivas e Normas regulamentares (NRs). É necessário conhecer os riscos existentes na empresa, mediante análise do enquadramento sindical e das normas coletivas aplicáveis; avaliação dos documentos dos empregados; visita no ambiente de trabalho, dentre outras; a fim de mapear eventuais inadequações
  • Análise de eventuais autuações administrativas e ações trabalhistas anteriores, para rever os erros cometidos;
  • Adoção de práticas que visem eliminar os riscos, inclusive com a implementação de políticas;
  • Adequação na cultura da empresa às práticas implementadas. 

Após a análise dos riscos existentes, por meio da Auditoria Trabalhista, será implementado um programa de Compliance, a fim de prevenir e corrigir as inconformidades atuais.

Assim como, implementar e orientar a aplicação de um código de conduta, além de canais de denúncia anônima (para investigação e aplicação de sanção, se necessárias).

É de se considerar que o descuido corporativo em não adotar práticas preventivas ocasiona ambientes negativos e improdutivos.

Ainda é possível observar descontentamento de empregados, risco de autuações administrativas, ações trabalhistas e até mesmo acidentes de trabalho.

Realizar uma Auditoria Trabalhista e um planejamento trabalhista adequado é menos oneroso a longo prazo, pois reduz custos (tais como multas administrativas e ações judiciais); proporciona um ciclo de existência empresarial saudável – ante alinhamento preventivo de acordo com as regras legais; fortalece, expande e protege o patrimônio; aproxima a empresa dos empregados, os tornando mais engajados a demonstrar a função social da empresa para terceiros.

Além disso, há uma adaptação ao mercado, atraindo investimentos e efetivando parcerias estratégicas.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.
Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Janaina Lima de Souza – OAB/PR 83.219 – Advogada trabalhista no escritório Motta Santos & Vicentini Advogados Associados.