Enquanto cientistas de todo o mundo correm para desenvolver uma vacina ou um medicamento eficaz contra o coronavírus, os esforços para conter a pandemia da Covid-19 se resumem a um conjunto de atitudes preventivas como isolamento social, uso de máscaras e a constante higienização das mãos e de objetos.

Neste cenário, os profissionais de Recursos Humanos dos mais variados segmentos empresariais começam a se preocupar com o retorno de seus colaboradores ao ambiente de trabalho.

É seguro? O que pode ser feito nestes locais para evitar a propagação do vírus?  Pensando em ajudar estes profissionais, especialistas separaram quatro dicas que vão ajudar a  manter a saúde dos colaboradores nas empresas.

Confira abaixo as dicas de especialistas para auxiliar as empresas e RH em meio à pandemia:

1- Transparência e informação de qualidade são fundamentais. Junto com o RH das empresas, reúna informações verdadeiras sobre o momento que estamos vivendo em um informativo para os funcionários.

“As pessoas estão absorvendo uma grande quantidade de informações, vindas de diversos lugares. Redes sociais, rádios, programas televisivos e, até mesmo, familiares e amigos, compartilham diariamente notícias sobre a pandemia e o novo coronavírus.

Uma ideia interessante é o time de RH das empresas trabalhar com uma curadoria de informações e, com isso, reuni-las em uma newsletter coesa e resumida, não só com notícias relacionadas à pandemia, mas com notícias positivas e esforços para melhorar o momento que estamos vivendo.

Afinal, informação saudável, verificada e de qualidade ajuda a administrar a ansiedade, melhora o foco e mostra que as empresas estão preocupadas com o que chega até os seus colaboradores,” comenta Claudia Galdino, diretora comercial da Vitta, empresa de tecnologia em saúde.

2- Dificuldade em performar durante o isolamento social

Algumas empresas estão indicando baixa na performance de seus colaboradores, com resultados aquém do esperado, mesmo para os profissionais que eram acostumados a ter uma boa entrega.

O segredo é entender o momento e se aproximar da melhor maneira dos colaboradores que estão com dificuldade em performar durante a quarentena.

“Nem sempre é possível manter a melhor perfomance profissional, mesmo antes da quarentena, é comum que colaboradores acostumados a ter uma entrega de alto nível, tenham dificuldade em performar em algum momento.

Porém, nesse cenário, essas dificuldades ficaram mais acentuadas. Uma de nossas sugestões, é marcar bate-papos para saber sobre a saúde mental do colaborador e oferecer apoio caso seja necessário.

Entenda que as pessoas têm dificuldades e qualidades diferentes, estamos em um momento peculiar, que requer tempo para se adaptar.

Outros fatores para se aproximar dos colaboradores, é entender a questão geracional e social de cada um, procurando a melhor abordagem para falar sobre adversidades de forma natural.

pandemia

Sem deixar de lado o cuidado com outras questões que, indiretamente, podem impactar na performance profissional.

Olhar para a família do colaborador e procurar soluções de saúde para todos é uma maneira de incentivo e gerar empolgação profissional” sugere Caio Nunes, médico e co-fundador da Sanar.

3 – Em empresas que retornaram presencialmente, o cuidado deve ser redobrado

Algumas empresas optaram por retornar as atividades presencialmente, em diversos setores e, de alguma forma, isso trouxe a sensação de normalidade aos colaboradores dessas companhias.

Porém, embora a rotina esteja voltando aos poucos, é difícil precisar quando teremos a normalidade pré-pandemia.

Algumas empresas voltaram a trabalhar presencialmente, mas, sem um plano de retorno efetivo.

É muito importante que os RH em conjunto com a diretoria responsável, tenha um plano de contingência completo para o retorno e que tenha equipado o local de trabalho com itens básicos de higiene e, também,  um distanciamento adequado entre seus colaboradores.

Os RH também devem considerar testagem em massa dos funcionários e, em caso de contágio, ter um plano reserva para a volta imediata do trabalho remoto.

Assim, a empresa não terá que parar novamente e não irá alastrar a doença entre os seus.

4- Cuidado a distância com a manutenção da vida dos profissionais e de suas famílias

Com a pandemia, os cuidados com a saúde se intensificaram, porém muitas pessoas ainda estão com receio de se dirigir até uma unidade física de atendimento.

O RH deve entender que os aspectos psicológicos são acentuados com a pandemia e seus desdobramentos e, isso, impacta diretamente no desempenho profissional. 

“Encontrar soluções de atendimento em saúde a distância é uma ótima opção para manter o equilíbrio das equipes.

Cada vez mais, a telessaúde, através de seus mais diversos segmentos, tem demonstrado ser um modelo de atendimento poderoso para trazer acesso facilitado e solução de qualidade em saúde.

Que tal disponibilizar atendimento, em formato digital, com médico, psicólogo, nutricionista, assistente social ou até mesmo educador físico para os colaboradores? Esse formato, apoia, conforta e traz comodidade para quem o utiliza.

No caso da teletriagem de enfermagem, por exemplo, um profissional de saúde faz uma avaliação dos sintomas e conduz o paciente para a melhor solução.

Além de garantir mais segurança para o colaborador e sua família, contar com apoio especializado é mais uma maneira para reter talentos e demonstrar que sua empresa está preocupada e alinhada com o que denominamos Saúde 5.0”, explica Renata Zobaran médica e Diretora de Saúde da TopMed.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Você gostaria de trabalhar com Departamento Pessoal?

Já percebeu as oportunidades que essa área proporciona?

O Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina todas as etapas do DP, desde entender os Conceitos, Regras, Normas e Leis que regem a área, até as rotinas e procedimentos como Admissão, Demissão, eSocial, FGTS, Férias, 13o Salário e tudo mais que você precisa dominar para atuar na área.
Se você pretende trabalhar com Departamento Pessoal, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um profissional qualificado

Por Renata Zobaran médica e Diretora de Saúde da TopMed.