Aplicativo poderá ser utilizado para consulta de auxílio emergencial

0

O aplicativo é o mesmo lançado no ano passado para auxiliar aqueles que iram receber o auxílio emergencial.

O auxílio emergencial poderá ser acessado através do site https://consultaauxilio.dataprev.gov.br/consulta/#/

O processo para acessar é fácil, veja:

  • Informe seu CPF
  • Informe seu nome completo
  • Informe o Nome da sua mãe (caso não tenha registro basta marcar a opção Mãe desconhecida)
  • Por fim basta preencher a data de nascimento

Informações

Pelo site da Dataprev será possível acompanhar o andamento do recebimento do auxílio emergencial, bem como a situação do seu benefício se está ou não liberado, bem como a justificativa.

Contudo, para a nova rodada de pagamentos, será necessário que a PEC Emergencial seja aprovada. Através da aprovação da PEC cria-se a base para o novo auxílio, ou seja, flexibiliza as regras fiscais para que o governo tenha espaço no Orçamento para realização dos pagamentos, deixando os gastos com auxílio fora do teto.

Logo em seguida para que o governo possa determinar as regras, número de parcelas e beneficiários o governo precisará enviar um projeto de lei ou uma medida provisória que informe todos estes pontos para aprovação. À partir dos critérios definidos e públicos será possível realizar a consulta sobre a situação do seu auxílio emergencial.

Prorrogação do auxílio emergencial

Designed by Gabriel_Ramos / shutterstock
Designed by Gabriel_Ramos / shutterstock

Os brasileiros continuam esperando a volta do auxílio emergencial, e a aprovação da PEC Emergencial que será votada amanhã hoje, que liberará o pagamento do benefício. Valor deverá ser de quatro parcelas de R$ 250,00.

Porém, o presidente da Câmara dos Deputados confirmou o valor do auxílio em R$ 250,00 em quatro parcelas, através das redes sociais. Segundo Lira, houve uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para tratar, além do auxílio emergencial, das entregas das 140 milhões de vacinas.

Enquanto isso, o presidente Bolsonaro criticou os estados brasileiros que aderiram novamente ao lockdown. Segundo ele, a medida para tentar frear o avanço da pandemia do novo coronavírus é “politicalhada”. De acordo com Bolsonaro, os estados que aderirem às medidas de controle à pandemia deverão “bancar” o auxílio emergencial após os novos quatro meses de pagamento.

Bolsonaro continuou afirmando que os governadores do país “não podem continuar fazendo política e jogando no colo do presidente da República essas responsabilidades”.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil