Apesar do Auxílio Emergencial ter ganho mais duas parcelas de R$ 600, nada garante que os brasileiros que já estão recebendo o Auxílio ou os novos aprovados continuem recebendo o benefício. No final de junho o Ministério da Cidadania já havia informado que os beneficiários passarão por uma nova análise antes de serem creditados.

Com isso, antes do pagamento da quarta parcela começar o sistema vai averiguar as informações do beneficiário e se o mesmo ainda cumpre com todos os requisitos necessários para recebimento do auxílio.

Suspensões no pagamento

auxilio emergencial

Um exemplo que podemos dar para o não recebimento da quarta parcela está relacionado aos cidadãos que estavam recebendo o auxílio e estavam desempregados e que no meio tempo conseguiram um emprego de carteira assinada, ou também quem começou recebendo o auxílio emergencial quando não recebia o seguro desemprego, mas agora recebe, para este o benefício do auxílio emergencial também será cortado.

Veja quais são os motivos que podem excluir você da próxima parcela:

  • Contratação no período: o usuário conseguiu um emprego formal durante o intervalo de tempo de recebimento do auxílio. A regra também se aplica a membros, caso faça a renda familiar subir para além do estabelecido;
  • Recebimento de seguro-desemprego: os beneficiários que começaram a receber o seguro-desemprego depois da aprovação do cadastro, não podem acumular os benefícios;
  • Recebimento de benefícios previdenciários: caso o usuário comece a receber aposentadoria, pensão, auxílio-doença ou suporte de  programas de transferência de renda do governo (com exceção do Bolsa Família). Essa regra também inclui membros da família;
  • Aumento da renda familiar: se, por qualquer outro motivo, a renda mensal por membro da família ultrapassar meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até R$ 3.135;
  • INSS: fez contribuição individual ao INSS sobre um valor superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,50;
  • Recebimento de prestação de serviços: empresa para a qual o beneficiário presta serviço realizou pagamento  superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,00.

Governo já cortou 595 mil benefícios

O governo começou a realizar cortes no Auxílio Emergencial, num total de 565 mil pessoas já foram excluídas. O estados mais atingidos foram Maranhão, Bahia, Paraíba e Ceará, com maior número de servidores que receberam o auxílio de forma irregular.

Na lista dos 565 mil cortados estão presos, brasileiros que moram fora do país e funcionários públicos. A Controladoria-Geral da União ao cruzar os dados dos cadastros no benefício com os dos Tribunais de Contas dos estados, descobriu a fraude.

O que chama a atenção é o número de servidores que receberam o auxílio de forma irregular, foram 395 mil em todo o país.

Calendário da quarta parcela

Os brasileiros beneficiados que recebem daqui a 10 dias a 4ª parcela são de inscritos no Bolsa Família. Vale lembrar que para receber as parcelas extras não é necessário fazer nenhum tipo de solicitação, se você ainda se enquadra nas exigências para o recebimento, você receberá as parcelas de prorrogação.

O pagamento do Auxílio Emergencial para cadastrados no Bolsa Família acontecem de acordo com o último digito do Número de Identificação Social (NIS). Precisa ser lembrado que diferente dos outros beneficiários do programa, os inscritos no Bolsa Família já possuem seu calendário pré-definido de acordo com o NIS.

Calendário de pagamento da 4ª parcela

Número final do NISData de recebimento
NIS final 120 de Julho
NIS final 221 de Julho
NIS final 322 de Julho
NIS final 423 de Julho
NIS final 524 de Julho
NIS final 627 de Julho
NIS final 728 de Julho
NIS final 829 de Julho
NIS final 930 de Julho
NIS final 031 de Julho