Auxílio Emergencial: 4ª parcela pode ser liberada em Julho

0

Em entrevista à rápido Jovem Pan, o presidente Jair Bolsonaro que por enquanto está sem partido, confirmou o interesse na extensão do Auxílio Emergencial que paga hoje R$ 600. A extensão não será de um valor maior pago na terceira parcela ou novos beneficiários, mas sim de uma quarta parcela.

4ª parcela do Auxílio Emergencial

A quarta parcela do auxílio emergencial será diferente das demais, isso porquê se concretizando a quarta parcela pagará um valor menor para que o governo possa conseguir manter um pagamento a quem precisa. Vale lembrar que Bolsonaro informou interesse em prolongar para quem sabe até uma quinta parcela.

“Conversei com o Paulo Guedes [ministro da Economia] que vamos ter que dar uma amortecida nisso daí. Vai ter a quarta parcela, mas não de R$ 600. Eu não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400; e talvez tenha a quinta [parcela]. Talvez seja R$ 200 ou R$ 300. Até para ver se a economia pega”, relatou o presidente..

“Não podemos jogar para o espaço mais de R$ 110 bilhões, que foram gastos dessa forma. Isso vai impactar nossa dívida, no Tesouro”.

auxilio emergencial

Paulo Guedes confirma interesse na prorrogação

Paulo Guedes, ministro da economia, confirma essa possibilidade de prorrogação do Auxílio Emergencial por até dois meses. Vale lembrar que para ele o valor também teria que ser de R$ 200 que é o valor inicial proposto pelo auxílio.

O Auxílio Emergencial foi elaborado para durar por três meses, logo concedido nos meses de abril, maio e junho, com a possível prorrogação de até dois meses, o benefício pode ser pago até o mês de agosto.

A princípio o presidente e o ministro da economia Paulo Guedes se manifestaram favoráveis ao pedido de prorrogação, contudo o secretário especial da fazenda, Waldery Rodrigues, entende haver uma grande problemática para a manter o auxílio, sendo que se este for mantido deveria seguir a baliza do Bolsa Família. Destra forma, houve um progresso no sentido de que deverá sim haver a prorrogação do pagamento do Auxílio Emergencial, porém ainda nada está concreto em relação ao período, valores e como esse valor seria pago

Quase 10 milhões continuam em analise

Existem aproximadamente 9,7 milhões de pedidos em análise, segundo informação prestada pela Caixa Econômica, ou seja, realmente os pedidos encontram-se sendo analisados, correspondendo 4,8 milhões em reanálise e 4,9 milhões em primeira avaliação. O cadastro no programa poderá ser feito até dia 03/06, o que pode justificar a demora no término das análises.

Regras para receber o Auxílio Emergencial

Para ter acesso ao Auxílio Emergencial, a pessoa deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • Maior de idade – ser maior de 18 anos de idade
  • Não ter emprego formal – destinado para trabalhadores autônomos com rendas informais, que não seja agente público, inclusive temporário e nem exercendo mandato eletivo
  • Não ser beneficiário – não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família
  • Renda familiar – renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00)
  • Rendimentos tributáveis – não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70
  • Estar desempregado ou exercer as seguintes atividades – exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI) ou ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) ou ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico)