Essa dúvida tem sido muito comum entre os brasileiros. Os beneficiários inscritos no Bolsa Família já estão recebendo a primeira parcela de prorrogação do auxílio emergencial desde o dia 20.

O Auxílio Emergencial e o Bolsa Família

O auxílio emergencial está sendo pago aos beneficiários do Bolsa Família, o cronograma de pagamentos segue o calendário regular do programa, onde o pagamento é feito nos dez últimos dias do mês e segue determinado pelo número final do Número de Identificação Social (NIS).

Logo, com o pagamento iniciado no dia 20 até o dia 31, todos os beneficiários do Bolsa elegíveis ao auxílio emergencial receberão as parcelas de R$ 600 e R$ 1.200 (no caso das mães chefes de família).

Dessa maneira, a parcela de julho é referente à quarta parcela do auxílio emergencial; Já a quinta parcela do Auxílio Emergencial será paga em agosto.

Portanto, o auxílio vai até agosto para beneficiários do Bolsa Família (cerca de 95% de todos os atendidos pelo programa).

Além do pagamento do auxílio emergencial, o governo estuda substituir o Bolsa Família por um novo programa assistencial que pretende ser mais amplo que o atual Bolsa e se utilizará da base do auxílio emergencial.

Em outras palavras, o novo programa do governo atenderá além dos inscritos no Bolsa Família, atenderá categorias como trabalhadores informais, autônomos, desempregados e demais categorias que estão recebendo o auxílio, o nome do novo programa sugerido pelo Governo é o “Renda Brasil”.

Substituição do Bolsa Família e Auxílio Emergencial

auxilio emergencial

O Renda Brasil é um projeto que pretende substituir o Bolsa Família e que possa continuar beneficiando parte da população que está recebendo o Auxílio Emergencial.

A expectativa do governo é que o Renda Brasil comece a operar em outubro. Já que os beneficiários do Bolsa Família vão receber o Auxílio de R$ 600 até setembro. Onde com o fim do benefício emergencial os inscritos no Bolsa já possam receber o novo benefício.

Valor do Renda Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes,, já informou que o novo programa social que está sendo planejado pelo governo para substituir o Bolsa Família, deve pagar de R$ 250 a R$ 300 por mês aos brasileiros de baixa renda.

O Renda Brasil, como é chamado o novo programa, propõe unificar uma série de programas sociais em uma única política de renda básica. A previsão é que entre em vigor logo ao término do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600, possivelmente no mês de outubro.

A gestão do presidente Jair Bolsonaro pretende atender parte dos trabalhadores que atualmente estão recebendo o auxílio emergencial dos R$ 600, além de aumentar o valor do benefício pago no Bolsa Família.

No entanto, se seguir o indicado por Guedes, o aumento deve variar entre R$ 50 a R$ 100. Atualmente, o valor médio pago no Bolsa Família está em torno dos R$ 200. Guedes ressaltou que a base de beneficiários no novo programa deve ser ampliada em quase 10 milhões de pessoas.

O programa promete ser uma marca do governo de Bolsonaro na área assistencialista. O Bolsa Família foi criado durante o governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.