Auxílio Emergencial: Calendário da 3ª parcela deve sair hoje

0

Foi confirmado que o calendário da terceira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 será divulgada hoje.

Os técnicos do Ministério da cidadania informaram ainda que o cronograma de pagamento da terceira parcela deve seguir os moldes da segunda. Em outras palavras, o calendário será dividido em grupos. Como no segundo lote a medida é para evitar aglomeração nas agências da Caixa Econômica Federal.

Como o pagamento seguirá os moldes do segundo lote, quem receberá primeiro serão os beneficiários do Bolsa Família, onde o calendário é dividido de acordo com o último digito do NIS.

Após o calendário do Bolsa Família, seguira os depósitos em conta poupança social digital da Caixa para os demais beneficiários, segundo de acordo com o mês de aniversário. Como na segunda parcela inicialmente o saldo será utilizado apenas para pagamento de contas, compras online pelo cartão digital e por QR code em lojas físicas.

Não menos importante em seguida será liberado o cronograma de saques em dinheiro e transferência para outras contas bancarias.

auxilio emergencial

Prorrogação do Auxílio Emergencial

O governo bateu o martelo e decidiu pagar mais duas parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial. A informação foi confirmada por fontes da equipe econômica. A extensão do programa custará R$ 51 bilhões.

O benefício foi aprovado pelo Congresso em abril como forma de mitigar os efeitos da crise do coronavírus sobre a população mais vulnerável, principalmente trabalhadores informais. Na versão original, a ajuda federal seria de três parcelas de R$ 600, mas essa cobertura precisou ser estendida.

Para estender o programa, o governo terá que modificar a lei que instituiu o benefício. O texto prevê o valor e número de parcelas do benefício.

O formato atual do auxílio foi resultado de uma série de negociações entre o Executivo e o Legislativo. Inicialmente, a equipe econômica sugeriu pagar três parcelas de R$ 200, com base no valor médio pago a beneficiários do Bolsa Família. Parlamentares elevaram a proposta para R$ 500 e, no fim, o presidente Jair Bolsonaro acabou propondo a versão final de R$ 600.

No início da semana passada, ainda estava incerto se a prorrogação seria de duas parcelas de R$ 300 ou três parcelas de R$ 200. Agora, no entanto, ficou decidido que a primeira opção será a escolha do presidente Jair Bolsonaro.