Estamos em um momento onde a grande maioria dos beneficiários do Auxílio Emergencial já receberam a primeira e segunda parcela. A expectativa agora é com a liberação da terceira parcela, se o beneficio realmente será prorrogado e qual valor será pago, se você quer saber tudo sobre a 3ª parcela, prorrogação e novos possíveis valores, confira!

Calendário da 3ª parcela do Auxílio Emergencial

Se você está na expectativa sobre quando será liberado o calendário de saque e como funcionará o pagamento da terceira parcela, temos uma notícia para lhe animar. O calendário de pagamento da terceira parcela do Auxílio Emergencial já tem data para ser liberado, de acordo com o governo federal, a promessa é de que o calendário seja divulgado na próxima segunda-feira, 8 de junho. O cronograma deve ainda ser similar ao cronograma da 2ª parcela, com a divisão entre os grupos de beneficiários.

A princípio, a Caixa irá realizar o depósito para os beneficiários do Bolsa Família, conforme o dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Depois, serão ocorrerá o crédito na conta poupança digital, segundo os meses de nascimento.

Seguindo os critérios da segunda parcela, a Caixa Econômica Federal irá depositar primeiro para os beneficiários que recebem o Bolsa Família, seguindo a ordem do digito final do NIS. Logo em seguida o credito será liberado em poupança digital seguindo assim como na segunda parcela o mês de nascimento.

O Auxílio Emergencial de R$ 600 poderá ser utilizado através do aplicativo do Caixa Tem que possui uma série de recursos como pagamento de boletos, pagamento por QR Code e também como um cartão digital para compras online e em grandes redes de mercado.

Como não menos esperado por último haverá o calendário para saque em dinheiro de R$ 600 do auxílio.

auxilio emergencial

Prorrogação do Auxílio Emergencial

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira (4) que prorrogará por mais dois meses o Auxílio Emergencial pago a pessoas de baixa renda, sobretudo trabalhadores informais, por conta da pandemia de covid-19. Em live no Facebook, o presidente disse que a extensão já está acertada com o ministro da Economia, Paulo Guedes. E afirmou, sem especificar, que o valor será menor do que os R$ 600 pagos atualmente.

“Vai ter, também, acertado com o Paulo Guedes, a quarta e a quinta parcela do Auxílio Emergencial. Vai ser menor do que os R$ 600, para ir aí partindo exatamente para um fim”, afirmou.

Qual valor poderá ser pago na 4ª e 5ª parcela?

Entretanto, as novas parcelas devem chegar aos beneficiários com valores reduzidos, segundo Bolsonaro. Mesmo sem ter ainda um montante definido o governo afirma ser impossível manter uma 4ª e 5ª parcelas em R$ 600,00 devido ao alto custo do programa.

Apesar da confirmação de mais duas parcelas do Auxílio Emergencial pelo presidente, as novas parcelas devem ter valores reduzidos. Apesar de, até o momento, não ter um valor definido, o governo afirma que será impossível que as novas parcelas tenham um valor de R$ 600, pois os custos para cada parcela chegam a R$ 40 bilhões, inviabilizando o pagamento de R$ 600.

“Conversei com o Paulo Guedes que nós vamos ter que dar uma amortecida nisso aí. Vai ter a quarta parcela, mas não de R$ 600. Não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400. E talvez tenha a quinta, talvez seja R$ 200 ou R$ 300. Até para ver se a economia pega”, informou Bolsonaro em entrevista à rádio Jovem Pan.

Paulo Guedes, Ministro da Economia também tem se mostrado favorável a uma eliminação gradual do benefício com o pagamento de até duas parcelas. “Se voltar para R$ 200 quem sabe não dá para estender um mês ou dois? R$ 600 não dá. O que a sociedade prefere: um mês de R$ 600 ou três de R$ 200? É esse tipo de conta que estamos fazendo”, declarou o ministro.

11 milhões continuam com pedidos em análise

De acordo com Guimarães, a Caixa fará os pagamentos para os novos aprovados a partir de 48 horas após o recebimento dos dados processados pela Dataprev. O último lote de cadastros processados foi entregue pela Dataprev em 15 de maio, contendo 8,3 milhões de cadastros.

Na semana passada, o Governo Federal já havia assumido em outro acordo o compromisso de concluir a análise de pedidos do Auxílio Emergencial em até 20 dias corridos. Agora, União, Caixa e Dataprev assumiram outros sete compromissos em acordo homologado pela Justiça Federal.

O novo acordo também traz esclarecimentos sobre as medidas já adotadas pelo Governo Federal para solucionar os problemas relatados pelos usuários, como a possibilidade de o cidadão alterar os dados cadastrais, por exemplo.