Auxílio Emergencial confirmado até julho com parcela de R$ 250

0

O presidente Jair Bolsonaro confirmou na semana passada o retorno do auxílio emergencial em quatro parcelas de R$ 250. Em declaração o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou na tarde de ontem o pagamento das quatro parcelas referentes ao meses de março, abril, maio e junho também com o valor de R$ 250.

Auxílio pode ser aprovado esta semana

Em um momento de aproximação entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, ambos pretendem aprovar esta semana o auxílio emergencial de R$ 250. Diante de um cenário gravíssimo de pandemia, bem como, com diversos governadores e prefeitos se vendo obrigados a decretar lockdown, a cúpula dos poderes Executivo e Legislativo estão pressionados a aprovar ainda mais rapidamente a medida.

O novo projeto de prorrogação do auxílio emergencial foi tratada diretamente com o presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Senado Rodrigo Pacheco e o presidente da Câmara Arthur Lira. Onde os mesmos se reuniram no domingo para definir os termos da nova rodada do benefício.

Para que o auxílio emergencial possa voltar a ser pago o mesmo depende da aprovação da PEC Emergencial, que acaba encontrando resistência no Senado, principalmente nas contrapartidas fiscais para o gasto adicional com a nova rodada de pagamentos do auxílio.

auxilio emergencial
Aplicativo Auxílio Emergencial

Quem vai receber?

O governo também deverá reduzir o número de beneficiários que terão acesso as novas parcelas do auxílio emergencial. O governo inclusive lançou um novo pente-fino que deverá reduzir o número de beneficiários ao menos em mais três milhões de pessoas.

O objetivo agora é conseguir realizar o pagamento somente aos que fazem jus ao pagamento, onde, segundo estimativa do governo 40 milhões de pessoas mais os beneficiários do Bolsa Família terão acesso as novas parcelas.

Contudo, mesmo que o auxílio seja aprovado esta semana, os critérios para liberação aguardam definição. Caso acontece nos mesmos moldes do ano passado como é esperado, o governo vai liberar dois calendários de pagamentos, sendo o primeiro para pagamento em conta poupança social digital da Caixa que poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. E em seguida um novo calendário para saque em dinheiro e transferência bancária.