Paulo Guedes, Ministro da Economia, informou nesta terça-feira, 30 de junho, que a prorrogação do Auxílio Emergencial será de três meses, entretanto das três parcelas apenas duas vão pagar R$ 600. A medida será feita através de decreto presidencial.

“É por decreto. Se entrar na Câmara, são mais 15 dias, 20 dias, sobe pro Senado, volta. É melhor que seja por decreto. Mas da mesma forma queremos que haja uma cobertura por três meses. É aquele dilema que eu tinha informado antes. Ou você dá um valor muito alto por menos tempo ou você põe um valor um pouco mais baixo e estica um pouco.” enfatizou Paulo Guedes, durante reunião da Comissão Mista de acompanhamento da crise do coronavírus.

A lei criou o benefício emergencial como forma de ajuda aos trabalhadores informais e autônomos para ajudar na contenção da crise econômica causa pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus.

Entretanto, fica estabelecido que o Executivo pode prorrogar por meio de decreto o período de assistência do programa. O governo vai lançar mão desse dispositivo para estender os pagamentos.

“A lei obriga o pagamento de R$ 600 em um mês e R$ 600 no outro. Então vamos fazer três meses de cobertura, com dois pagamentos em um mês”, afirmou o ministro.