Já faz um mês que o governo pagou a segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600. Entretanto até o momento ninguém sabe ao certo quando os beneficiários vão receber a próxima parcela. Somente os brasileiros beneficiários do Bolsa Família estão recebendo a terceiro lote de pagamentos, pagamento este que começou desde o dia 17.

Para relembrar um pouco como foi o pagamento da segunda parcela, os beneficiários cadastrados no aplicativo, site e inscritos do CadÚnico, receberam a segunda parcela em conta poupança digital entre os dias 20 a 26 de maio, onde a transferência e o saque em dinheiro foi liberado do dia 30 de maio ao dia 13 de junho.

Calendário oficial

auxilio emergencial

De acordo com o cronograma inicial, divulgado ainda no mês de abril a terceira parcela do auxílio emergencial deveria ter sido paga há aproximadamente um mês. A previsão era de liberação entre os dias 26 e 29 de maio. A segunda parcela também atrasou: estava prevista inicialmente para entre os dias 27 e 30 de abril.

Além do calendário da terceira parcela, segue indefinidos o cronograma da segunda e terceira parcela para os brasileiros que receberam a primeira parcela depois do dia 30 de abril. Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, havia afirmado inicialmente que a segunda parcela para este beneficiários seria paga um mês após o pagamento da primeira, mas os brasileiros que receberam a primeira parcela entre os dias 19 a 29 de maio seguem sem cronograma algum definido. Um terceiro lote de aprovados recebeu os primeiros R$ 600 já entre os dias 16 e 17 de junho. Mas segue sem definição para os próximos pagamentos.

O Portal de notícias G1 procurou o Ministério da Cidadania para conseguir mais informações sobre o calendário de pagamentos, mas sem respostas até o momento.

Prorrogação do Benefício

Mesmo sem a liberação do calendário da terceira parcela, já é inegável a prorrogação do Auxílio Emergencial. Até o momento a ideia principal de prorrogação de acordo com o que o presidente da república vem sinalizando é em um pagamento escalonado e com valor decrescente, em três parcelas. Pagando em julho R$ 500, em agosto R$ 400 e em setembro encerrando a prorrogação de três meses pagando R$ 300.

Sem contar que esse tempo de três meses será o tempo necessário para que o governo possa fechar a preparação para o novo programa intitulado Renda Brasil. o Renda Brasil tem como pretensão ser o principal programa social do país, reunindo diversos programas sociais como o Bolsa Família e o próprio Auxílio Emergencial, ao qual deverá ser lançado no próximo semestre.