Auxílio Emergencial: Quem recebe R$ 1.200 vai receber quanto na prorrogação?

0

O Calendário de pagamentos da quarta parcela do Auxílio Emergencial já foi liberado, entretanto, somente para os beneficiários do Bolsa Família. Porém, apesar de já ter sido confirmado a prorrogação em mais duas parcelas e já ter um calendário divulgado, muitas mães chefes de família estão preocupada para saber se as parcelas da prorrogação vão continuar pagando R$ 1.200.

Pagamento do Auxílio

auxilio emergencial

A diretoria de Comunicação Social do Ministério da Cidadania, informou ao portal NE10 que “As parcelas do período complementar de dois meses, como consta no decreto nº 10.412, de 30 de junho de 2020, serão equivalentes aos valores já recebidos (R$ 600 ou R$ 1.200) do Auxílio Emergencial”

Em outras palavras, as mães que recebiam R$ 1.200 vão continuar recebendo o mesmo valor tanto na quarta quanto na quinta parcela do Auxílio Emergencial.

Inscritos no Bolsa Família começam a receber dia 20

De acordo com a Caixa Econômica Federal o pagamento da quarta parcela para inscritos no Bolsa Família vão acontecer à partir da próxima segunda, 20 de julho.

Assim como nos meses anteriores, os indivíduos que estavam no programa assistencial possuem um calendário distinto dos demais trabalhadores para receber as parcelas.

Também ficou definido que, no caso do Bolsa Família, as duas parcelas que o governo resolveu ampliar no benefício serão de R$ 600.

Calendário

Vale lembrar que o calendário de pagamentos para inscritos do Bolsa Família segue a ordem de inscrição final do NIS.

  • NIS final 1: 20 de Julho
  • NIS final 2: 21 de Julho
  • NIS final 3: 22 de Julho
  • NIS final 4: 23 de Julho
  • NIS final 5: 24 de Julho
  • NIS final 6: 27 de Julho
  • NIS final 7: 28 de Julho
  • NIS final 8: 29 de Julho
  • NIS final 9: 30 de Julho
  • NIS final 0: 31 de Julho

Calendário para inscritos

Entretanto para inscritos através do site ou aplicativo da Caixa e também inscritos no CadÚnico, o calendário ainda não foi divulgado, entretanto, Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, informou que o calendário das parcelas adicionais já está definido, falta agora a avaliação e autorização do governo para que o calendário possa ser divulgado.