Auxílio Emergencial: Saques em dinheiro começam amanhã veja quem recebe

0

Muitos brasileiros seguem na expectativa para sacar a segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600. Se você quer saber mais sobre os saques e que dia você vai poder retirar o seu benefício, acompanhe!

Principais mudanças do Auxílio Emergencial

Com a chegada do calendário de pagamentos da segunda parcela, o Auxílio Emergencial agora segue novas regras, entre elas a divisão do calendário em três grupos distintos, sendo o primeiro para pagamento dos beneficiários do Bolsa Família, o segundo para os brasileiros que recebem em conta poupança social da Caixa e o terceiro e não menos aguardado calendário de saque e transferência do Auxílio Emergencial.

auxilio emergencial

Novidades para saque e transferência

Para sacar em espécie a segunda parcela do Auxílio Emergencial é preciso seguir um cronograma de saques que está dividido por mês de aniversário, os saques se iniciam amanhã (30) e se estendem até o dia 13 de junho.

É preciso destacar que cada mês terá o seu dia específico para saque, precisando ser respeitado, por exemplo os nascidos em janeiro recebem no dia 30, se você nasceu em março por exemplo e quiser sacar no dia 30 de maio que é exclusivo para os nascidos em janeiro, você não irá receber o auxílio.

Calendário para saque

Confira o calendário completo para saque que se inicia amanhã:

  • 30 de maio: nascidos em janeiro
  • 1º de junho: nascidos em fevereiro
  • 2 de junho: nascidos em março
  • 3 de junho: nascidos em abril
  • 4 de junho nascidos em maio
  • 5 de junho: nascidos em junho
  • 6 de junho: nascidos em julho
  • 8 de junho: nascidos em agosto
  • 9 de junho: nascidos em setembro
  • 10 de junho: nascidos em outubro
  • 12 de junho: nascidos em novembro
  • 13 de junho: nascidos em dezembro

Auxílio Emergencial pode ser cortado

Ter recebido a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 não garante que o trabalhador receberá o segundo ou terceiro lotes. De acordo com o Ministério da Cidadania, a cada pagamento, o sistema fará uma reanálise dos cadastros, utilizando as bases de dados e as novas informações que tenham sido inseridas sobre os requerentes.

A ideia é evitar pagamentos indevidos, como para um trabalhador que estava desempregado, mas, após o recebimento da primeira parcela do auxílio, conseguiu uma ocupação formal.

Essa informação será acrescentada em sua carteira de trabalho. Então, antes do pagamento da segunda parcela, o sistema vai analisar novamente se esse cidadão atende aos requisitos e perceberá que ele agora tem um emprego formal. Dessa forma, essa pessoa não receberá a segunda parcela.