Auxílio Emergencial terá nova parcela nesta sexta-feira

O dinheiro será liberado para quem teve o pagamento cancelado em outubro

Novo lote do Auxílio Emergencial será pago nesta sexta-feira (3). O dinheiro será liberado para quem teve o pagamento cancelado em outubro, que contestou, incluindo requerimentos de decisões judiciais. Na verdade são valores retroativos do Auxílio Emergencial.

Segundo a Secretaria Nacional do Cadastro Único (SECAD), sob o comando do Ministério da Cidadania, cerca de 20.199 cadastros de trabalhadores inscritos no CadÚnico (Cadastro Único) ou em plataformas digitais do auxílio tiveram seus pedidos de contestação analisados. Foram considerados, desse total, 11.279 elegíveis para receber todas as parcelas retroativas a que tem direito.

Lembrando que depois desse lote, não há mais requerimentos relacionados ao auxílio emergencial que esteja aguardando por análise. Sendo que a Dataprev liberou a consulta para quem estava com o auxílio emergencial em análise neste mês.

O benefício pode ser consultado pelo CPF, desta forma, você saberá se foi aprovado para receber o auxílio. Para isso, acesse o site – https://consultaauxilio.cidadania.gov.br//consulta/#/.

A contestação ainda poderia ser feita até nesta terça-feira (30), no entanto, quem não fez até o prazo dado pelo governo, não poderá mais contestar.

O auxílio emergencial 2021 teve sete parcelas com valores que variaram entre R$ 150 e R$ 375.

Devolução do auxílio emergencial

O Ministério da Cidadania enviou através de mensagem de celular (SMS), nesta terça-feira (30), como deverá ser realizada a devolução voluntária de recursos que foram pagos indevidamente do  Auxílio Emergencial, além de denúncias de fraudes. Estão também na lista de devolução beneficiários do auxílio emergencial que também recebe o Auxílio Brasil (antes Bolsa Família) via Cadastro Único (CadÚnico). Eles vão precisar devolver o dinheiro.

Estão na mira do governo, os trabalhadores que realizaram declaração de Imposto de Renda Pessoa Física e que receberam notificação para fazer a restituição do auxílio emergencial, e que ainda não fizeram o pagamento. Também precisam devolver os valores às pessoas que receberam recursos, mas não se enquadram nos critérios de elegibilidade do programa.

Foram devolvidos aos cofres públicos aproximadamente R$ 66,3 milhões no período de 18 de agosto a 18 de novembro, como informou o Ministério da Cidadania.

Comentários estão fechados.